Saúde

Estudo: Soja pode aliviar sintomas da menopausa

Consumir doses diárias de soja pode reduzir a intensidade e a frequência das ondas de calor que as mulheres sentem no período da menopausa. A conclusão é de um estudo exaustivo sobre os efeitos da leguminosa na menopausa.
Versão para impressão

Consumir doses diárias de soja pode reduzir a intensidade e a frequência das ondas de calor que as mulheres sentem no período da menopausa. A conclusão é de um estudo exaustivo sobre os efeitos da leguminosa na menopausa, realizado por uma equipa de investigadores da Universidade de Delaware, em New Jersey, EUA.

Já antes tinham sido realizados estudos sobre as reações corporais causadas pelo consumo da soja. No entanto, os autores deste estudo, publicado na revista “Menopause: The Journal of the North American Menopause Association”, explicam que os resultados inconclusivos se deviam à utilização de uma metodologia inconsistente.

Esta investigação incluiu, por isso, a revisão de 19 estudos já efetuados e o exame de mais de 1200 mulheres. “Quando combinámos todos os resultados, descobrimos que o efeito é positivo” conclui Melissa Melby, coautora do estudo, num comunicado divulgado pela Universidade de Delaware.

Frequência das ondas de calor diminuída em 20,6% e intensidade em 26%

Ao analisar o impacto das insoflavonas presentes na soja – químicos que provocam um efeito semelhante à hormona feminina estrogénio -, os cientistas descobriram que a ingestão de pelo menos 54 miligramas diários do composto (presente, por exemplo, em dois copos de leite de soja), durante seis semanas reduz em 20,6% a frequência e em 26% a intensidade das ondas de calor que as mulheres sentem quando terminam os seus ciclos de ovulação.

As percentagens podem ser ainda maiores, uma vez que foi usado um placebo como elemento comparativo, que pode ter apresentado, também ele, efeitos mínimos.

Os resultados foram aproximadamente três vezes mais efetivos nas mulheres que tiveram um período de teste mais prolongado (12 semanas ou mais) do que naquelas que se submeteram a estudos de menor duração.

O estudo revelou ainda que suplementos de insoflavona com níveis mais elevados de genisteína (um dos tipos de insoflavona), tiveram duas vezes mais efeito na redução das ondas de calor do que suplementos com quantidades mais baixas (menos de 19 miligramas).

Para Melissa Melby, o resultado foi particularmente importante pois revelou que “a ingestão de produtos derivados da soja, ou o uso de suplementos derivados de feijões de soja inteiros pode funcionar bem para as mulheres”.

A relação entre a soja e a menopausa foi estabelecida através da evidência observada no Japão, país onde o grão está muito presente na alimentação diária. A investigadora norte-americana assegura no entanto que, mesmo para mulheres de 50 anos que nunca tenham ingerido soja ainda há benefícios associados ao consumo do alimento.

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close