Saúde

Estudo: Internet ajuda idosos a escapar à depressão

O uso da Internet por parte dos idosos pode ajudá-los a reduzir em mais de 30% o risco de depressão. A conclusão é de um estudo realizado recentemente por investigadores norte-americanos.
Versão para impressão
O uso da Internet por parte dos idosos pode ajudá-los a reduzir em mais de 30% o risco de depressão. A conclusão é de um estudo realizado recentemente por investigadores norte-americanos, que destaca a importância desta tecnologia no combate à solidão e ao isolamento.
 
Um grupo de investigadores da Universidade do Michigan, nos EUA, acompanhou, ao longo de seis anos, as vidas de milhares de idosos reformados daquele país e descobriu grandes benefícios na utilização da Internet a nível emocional, observando uma diminuição superior a 30% na incidência de depressões nos voluntários que costumavam estar “online”.
 
“É um efeito muito forte”, salienta Shelia Cotten, professora da área das telecomunicações da universidade norte-americana e coordenadora do estudo, em comunicado. “Todos estes benefícios têm a ver com a possibilidade [que a Internet dá aos idosos] de comunicar, de manter contactos através das redes sociais e de evitar a solidão”, explica.
 
Cotten e os colegas analisaram dados de mais de 22.000 idosos americanos recolhidos a cada dois anos. A amostra envolvida no estudo incluiu mais de 3.000 pessoas, o que o transformou “num dos mais amplos e mais abrangentes estudos do género”, destaca a investigadora. 
 
De acordo com a docente norte-americana, a investigação em causa distingue-se por ter tido em conta os níveis de depressão dos participantes antes de estes terem começado a utilizar a Internet e a possibilidade de depressões passadas continuarem a afetar o estado atual de cada um.
 
No âmbito do estudo, e além de constatar os benefícios na prevenção da depressão, os cientistas concluíram também que, apesar de, em alguns casos, os voluntários continuarem deprimidos mesmo usando a Internet, esta tecnologia os ajudou “a reduzir os níveis de depressão e a controlar as consequências de depressões anteriores”. 
 
A Internet parece ser particularmente útil no caso dos idosos que vivem sozinhos, verificando-se, nessas situações, os benefícios mais significativos. “Este estudo traz contribuições importantes para a análise do uso da Internet e da depressão nos reformados”, defende Cotten. 
 
Segundo a especialista, o fundamental é que os utilizadores saibam como tirar partido da tecnologia e escolham fazê-lo de forma moderada – como, aliás, é recomendável em tudo na vida. 
 
“Se nos sentarmos em frente ao computador todo o dia, ignorando os papéis que temos de desempenhar e as tarefas que temos de cumprir como parte da nossa rotina, [o uso da Internet] terá um impacto negativo”, admite.
 
“Porém, se a usarmos com moderação e para fazer coisas que melhorem a nossa vida, é provável que o impacto seja muito positivo em termos de saúde e bem-estar”, conclui Shelia Cotten, cujo estudo foi publicado na revista científica Journal of Gerontology – Psychological Sciences and Social Sciences.

Clique AQUI para aceder ao resumo do estudo (em inglês). 

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close