Lifestyle

E se o seu caderno de papel fosse digital?

A Moleskine aproxima-se cada vez mais do digital. Depois de ter lançado um caderno em papel que convertia a informação registada à mão para formato digital, a Moleskine anuncia agora o Smart Writing Set, um kit que vai ainda mais longe na fusão entre
Versão para impressão
A Moleskine aproxima-se ainda mais do digital. Depois de, no início de 2015, ter lançado um caderno em papel que convertia a informação registada à mão para formato digital, a Moleskine anuncia agora o Smart Writing Set, um kit que vai ainda mais longe na fusão entre o analógico e o digital.
 
“Uma nova maneira de trabalhar, criar e estudar”. É esta a assinatura do novo conjunto Moleskine. Criado a pensar no mundo digital, este kit contém um 'paper tablet', a caneta Neo (especialmente criada para a Moleskine) e uma aplicação gratuita para iOS e Android. 
 
Este kit permite que as notas e os desenhos feitos em papel sejam imediatamente digitalizados, partilhados e editados a partir do seu formato digital. O conjunto Smart Writing Set permite ainda registar sons e organizar as paginas do caderno com 'tags' que facilitam a pesquisa de informação. 

“Este novo conjunto de ferramentas pretende reforçar a tradição da Moleskine, que nasceu para celebrar os pequenos cadernos que pensadores, artistas e escritores usam para criar livremente nas ruas, nos cafés ou em viagem”, diz a famosa marca italiana num comunicado oficial onde anuncia o Smart Writing Set. 

A empresa explica que o novo Smart Writing Set foi criado para os profissionais e estudantes deste mundo digital que querem tirar partido do lado criativo e poderoso de desenvolver primeiro as ideias no papel. 
 
“Verificamos que a procura pelos nossos produtos de papel continua a crescer de ano para ano, revelando a importância que o papel continua a ter na era digital”, diz Arrigo Berni, diretor executivo da Moleskine. “Por outro lado, temos a noção das vantagens do mundo digital em termos de edição, organização e partilha. É por isso que queremos que ver o analógico e o digital como um continuum”, acrescenta o responsável. 

O papel do novo caderno é embebido com a tecnologia NcodeÔ, patenteada pelo NeoLAB Convergence, e que contém uma grelha invisível ao olho que permite que a caneta Neo reconheça e transporte para o formato digital aquilo que é inscrito no papel. O novo kit já está à venda por um preço que ronda os 229 euros.

O caderno Livescribe, que a marca apresentou no ano passado e que tem funções muito semelhantes, custava apenas 30 euros mas vinha sem a caneta inteligente, que tinha de ser comprada à parte.

Comentários

comentários

Etiquetas

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close