Saúde

Diabetes: Coimbra coordena ensaio clínico europeu

A Associação para Investigação Biomética e Inovação em Luz e Imagem (AIBILI) de Coimbra vai ter a seu cargo a coordenação de um ensaio clínico, a nível europeu, com o objetivo de encontrar um meio de "prevenir a perda de visão na diabetes".
Versão para impressão
A Associação para Investigação Biomética e Inovação em Luz e Imagem (AIBILI) de Coimbra vai ter a seu cargo a coordenação de um ensaio clínico, a nível europeu, com o objetivo de encontrar um meio de “prevenir a perda de visão na diabetes”.
 
Em declarações à Lusa, José Cunha Vaz, presidente da AIBILI e coordenador da investigação, explicou que o ensaio, financiado pela União Europeia, visa encontrar um tratamento não invasivo para prevenir “a neurodegeneração retiniana e atrasar o seu desenvolvimento”.
 
Trata-se de uma doença ocular que atinge perto de 30% dos diabéticos e, a longo prazo, conduz a uma perda severa da visão e até mesmo à cegueira. “Estamos ainda em fase de estudo e num processo de procura”, adiantou o especialista, que diz acreditar, no entanto, no sucesso da investigação, pois “há dados científicos” que podem considerar-se “animadores”.
 
O estudo coordenado pela associação portuguesa irá prolongar-se durante dois anos e envolverá 11 centros europeus, sendo que os investigadores vão avaliar “a segurança e eficácia do colírio (tendo por base dois medicamentos neuroprotetores) para tratar a retinopatia na sua fase inicial”.
 
O ensaio clínico insere-se num projeto da responsabilidade do Consórcio Europeu para o Tratamento Precoce da Retinopatia Diabética (Eurocondor), em que participam 17 hospitais, universidades e centros de investigação de oito países europeus e que é dirigido pelo Instituto de Investigação do Hospital del Vall Hebrón, de Barcelona.

AIBILI é muito reconhecida a nível internacional
 

Segundo José Cunha Vaz, a seleção da AIBILI para coordenar o ensaio clínico não foi surpreendente já que a instituição a que preside é, garante, “mais reconhecida a nível internacional do que no plano nacional, como, aliás, sucede com alguns outros centros de investigação portugueses”.
 
Atualmente, a associação nacional coordena uma “rede europeia que integra 80 centros de estudos de 16 países relacionados com a oftalmologia e a visuão” que está, neste momento, a desenvolver seis investigações a nível internacional, acrescentou José Cunha Vaz.
 
A AIBILI foi criada em 1898 e funciona, desde 1994, no Polo de Ciências da Saúde da Universidade de Coimbra (Polo III). A Organização de Pesquisas Tecnológicas (RTO) no mercado de saúde dedica-se “a contribuir para o desenvolvimento de novos produtos para a imagem latente de saúde, empresas farmacêuticas e de biotecnologia”.
 

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close