Cultura

Crise não afetou Fantasporto

Esperava-se que a crise financeira reduzisse o número de visitas ao Fantasporto. No entanto, a 30ª edição do Festival de Cinema Fantástico do Porto recebeu mais de 40 mil espetadores, um número que ultrapassa os dados registados no ano passado.
Versão para impressão
Esperava-se que a crise financeira reduzisse o número de visitas ao Fantasporto. No entanto, a 30ª edição do Festival de Cinema Fantástico do Porto recebeu mais de 40 mil espetadores, um número que ultrapassa os dados registados no ano passado.

Para o diretor do Fantas, Mario Dorminsky, o balanço é “extraordinariamente positivo”, declarou à Lusa. Mario Dorminsky acredita que o festival tornou-se “mais atrativo” porque “praticamente a totalidade dos realizadores, atores e atrizes dos filmes em apresentação” estiveram presentes na cidade Invicta.

Em relação ao espaço onde o certame é realizado, o teatro Rivoli, o futuro é incerto: a Câmara Municipal do Porto ainda não esclareceu se a próxima edição do Fantas terá de ser realizada noutro local.

Ainda assim, Mario Dorminsky sublinha que o Fantasporto cumpriu plenamente os seus objetivos para com o público e, sobretudo, como veículo de promoção do potencial turístico e cultural da cidade do Porto, “o que também é fundamental”.

“Heartless”, de Philip Ridley, conquistou o Grande Prémio do Fantasporto e a sua exibição marca o encerramento do festival, no próximo sábado, dia 6.

Comentários

comentários

Etiquetas

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close