Inovação e Tecnologia

Criada folha artificial que produz eletricidade

NULL
Versão para impressão
Investigadores da Universidade de Massachusetts criaram uma “folha artificial” que pode vir a ser usada como fonte de energia. O objeto consegue transformar a energia do sol num combustível e é feito de materiais baratos e abundantes na natureza.

A folha artificial é uma célula solar constituída por diferentes materiais catalíticos colados sobre as suas duas faces. Quando colocada dentro de água e exposta à luz do sol, a folha produz bolhas de oxigénio e de hidrogénio que podem ser aproveitadas e usadas para produzir eletricidade. O processo é simples, mas requer bastante tecnologia. As bolhas produzidas são aprisionadas e combinadas novamente numa só, criando corrente elétrica.

O líder do projeto foi o professor Daniel Nocera que explicou no comunicado divulgado pela universidade que a folha é produzida a partir de silício, cobalto e niquel e funciona em qualquer água.

Esta não é a primeira vez que são criados mecanismos capazes de dividir as moléculas de água através do sol, mas é a primeira vez que são encontrados materiais baratos e que existem em larga escala, o que facilita o processo e o torna menos dispendioso.

A folha artificial é uma fina tira de silício, o material mais utilizado nas células solares, que transforma a luz do sol num fluxo de eletricidade que corre dentro da folha, sem fios. Um dos lados da folha capta o oxigénio e a outro o hidrogénio.

“Basta deitar a folha num copo de água e ela começa a separá-la”, explica Nocera, evidenciando as qualidades do mecanismo. Apesar de ainda não estar pronto para comercialização, o investigador garante que estão no caminho certo.

No futuro, Nocera vê esta folha a ser usada nas nossas casas, nos sistemas de retenção solar. Também os painéis existentes na rua podem usar a luz solar para produzir hidrogénio e oxigénio que sustente as necessidades da zona.

O melhor de tudo é que estes sistemas podem ser produzidos de forma simples e pouco dispendiosa, tornando possível que sejam adotados por todo o mundo, mesmo em zonas que atualmente não têm acesso a eletricidade.

[Notícia sugerida por Vitor Fernandes] 

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close