i9magazine

Concurso internacional de Informática Forense distingue estudantes e professores do Politécnico de Leiria

Versão para impressão

 

Duas equipas formadas por estudantes e professores das áreas de Engenharia Informática e de Cibersegurança da Escola Superior de Tecnologia e Gestão (ESTG) do Politécnico de Leiria foram recentemente distinguidas com um segundo e terceiro lugar no concurso internacional “Open Source Digital Forensics Conference – OSDFcon 2018”, na categoria “Module Development Contest”, nos Estados Unidos da América. A competição consiste no desenvolvimento de módulos para o software Autopsy, uma aplicação de informática forense utilizada na deteção e obtenção de provas digitais que possam ser aplicadas em processos criminais.

Alexandre Frazão, recém-diplomado em Engenharia Informática, e o professor Patrício Domingues, da ESTG, conquistaram a segunda posição do pódio, com o módulo “FDRI – Face Detection and Recognition in Images”. Este módulo automatiza a deteção e reconhecimento facial nas perícias digitais forenses realizadas em dispositivos de armazenamento de dados (discos, cartões de memória, etc.), onde seja relevante averiguar se determinada pessoa consta das fotografias. Para o efeito, o FDRI recorre a algoritmos de aprendizagem profunda da área da inteligência artificial.

O terceiro prémio pertence à equipa de Luís Andrade e João Victor Silva, também recém-licenciados em Engenharia Informática, no âmbito do projeto final de curso, com o módulo “LFA – Log Forensics Analysis”. Este módulo para Autopsy processa os vários arquivos de registos de computadores com sistema operativo Windows. O objetivo é recolher dados que possam ser relevantes no âmbito de uma perícia digital forense. Este trabalho foi coordenado pelos professores Patrício Domingues e Miguel Frade, ambos da licenciatura em Engenharia Informática e do mestrado em Cibersegurança e Informática Forense do Politécnico de Leiria.

“Os prémios conquistados pela ESTG no concurso OSDFCon 2018 confirmam a boa prestação alcançada na edição de 2017, onde o Politécnico de Leiria também ocupou dois lugares no pódio. Os prémios refletem a aposta da instituição nas importantes áreas da cibersegurança e da informática forense, de que são exemplos o Laboratório em Cibersegurança e Informática Forense, a pós-graduação em Informática de Segurança e Computação Forense, lecionada em colaboração com a Polícia Judiciária, e o mestrado em Cibersegurança e Informática Forense”, destaca Vítor Távora, coordenador do departamento de Engenharia Informática da ESTG do Politécnico de Leiria.

O professor Patrício Domingues é também investigador no Instituto de Telecomunicações, onde coordena o projeto de investigação “Automatic Detection of Faces for Digital Forensics”, onde o módulo premiado FDRI continua a ser melhorado por Alexandre Frazão, atual estudante do mestrado em Computação Móvel na ESTG. O professor Miguel Frade é o responsável pelo Laboratório de Cibersegurança e Informática Forense (LabCIF) e investigador do Centro de Investigação em Informática e Comunicações do Politécnico de Leiria, onde desenvolve projetos na área da perícia digital forense.

O conteúdo Concurso internacional de Informática Forense distingue estudantes e professores do Politécnico de Leiria aparece primeiro em i9 magazine.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close