Saúde

Comer peixe na infância reduz riscos de alergias

Um novo estudo vem sugerir que a presença do peixe na dieta das crianças com menos de 12 anos pode ajudar a prevenir o desenvolvimento de alergias numa fase posterior.
Versão para impressão
Já são conhecidos os benefícios do consumo regular de peixe ao nível da melhoria da memória dos mais velhos, da proteção contra doenças cardíacas e do reforço do sistema imunitário em todas as idades. Agora, um novo estudo vem sugerir que a presença do peixe na dieta das crianças com menos de 12 anos pode também ajudar a prevenir o desenvolvimento de alergias numa fase posterior.
 
Um grupo de investigadores suecos do Instituto de Medicina Ambiental e do Departamento de Ciências Clínicas e Educação de Estocolmo analisou dados sobre mais de 3.200 crianças recolhidos no âmbito de um estudo efetuado naquele país e concluiu que as crianças que consumiam peixe entre o primeiro e o 12º ano de de vida tinham um risco 74% inferior à das restantes de exibir sintomas alérgicos.
 
Os pais das crianças envolvidas no estudo foram convidados a preencher inquéritos sobre os sintomas de alergia, o estilo de vida e o envolvimento ambiental quando os filhos tinham 1, 2, 4, 8 e 12 anos, sendo que o primeiro destes questionários indicava a quantidade de peixe ingerida regularmente pelas crianças. 
 
Quando chegaram aos 8 anos de idade, os filhos foram submetidos a testes com o anticorpo imunoglobina e (lgE) para tentar identificar quaisquer sinais de alergias. Os resultados mostraram que 80% das crianças com um ano consumiam peixe com regularidade e que este tipo de dieta cortava em mais de 70% as probabilidades de virem a sofrer de alergias.
 
“O consumo regular de peixe na infância pode reduzir o risco de desenvolvimento de alergias depois dos 12 anos”, afirmam os investigadores, que publicaram as suas conclusões no American Journal of Clinical Nutrition e que estão certos deste benefício, embora não saibam ainda que composto presente no peixe o provoca.
 
Apesar das vantagens conhecidas dos ácidos gordos ómega 3 para a saúde, os especialistas alertam que também há perigos no consumo exagerado de peixe, dado que este tipo de alimento contém elevados níveis de mercúrio que, em doses acima do recomendado, pode ser prejudicial.

Clique AQUI para aceder ao resumo do estudo (em inglês).

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close