Saúde

Cientistas criam ossos a partir de tecido adiposo

Um grupo de cientistas israelitas conseguiu construir ossos humanos em laboratório a partir de células estaminais retiradas de gordura.
Versão para impressão
Um grupo de cientistas israelitas conseguiu construir ossos humanos em laboratório a partir de células estaminais retiradas de gordura. Esta técnica inovadora abre caminho a novas possibilidades, como a reparação de fraturas ou a substituição total de ossos partidos com recurso a outros nascidos das células do próprio paciente.
 
A tecnologia está a ser criada pela empresa Bonus Biogroup com a colaboração de investigadores do Technion Institute of Research em Israel, que utiliza imagens a três dimensões dos ossos afetados para construir um molde de uma espécie de gel com a sua forma.
 
Posteriormente, os cientistas retiram as células estaminais do tecido adiposo do paciente através de lipoaspiração e tornam-nas osso, colocando-as no molde e, depois, numa máquina automática que lhes oferece as condições de que necessitam para se “transformar”.
 
“Usamos estruturas tridimensionais para fabricar o osso com a forma e geometria exatas. Conseguimos criar estes ossos em laboratório e, depois, transplantá-los no paciente no momento adequado”, explicou Avinoam Kadouri, responsável científico da Bonus Biogroup, ao jornal The Telegraph. 
 
Segundo Kadouri, “graças às imagens detalhadas da área afetada do osso, o implante deve adaptar-se perfeitamente e fundir-se com o tecido envolvente”. Além disso, adianta o especialista, “não há risco de rejeição, uma vez que as células vêm do próprio organismo”.
 
A equipa espera começar os ensaios clínicos com humanos ainda este ano mas, entretanto, os cientistas já testaram o método em questão com animais e obtiveram bons resultados, tendo transplantado um pequeno osso criado em laboratório para a perna de um rato, que se fundiu na perfeição com o resto da estrutura óssea do animal. 
 
Atualmente, os enxertos ósseos envolvem a remoção de partes de ossos saudáveis do corpo do paciente e a posterior transplantação para a área danificada. Noutros casos, os novos ossos provêm de dadores mas, em ambas as situações, a técnica é bastante violenta para os doentes, que precisam de passar por duas cirurgias difíceis e correm ainda o perigo de verem o novo osso ser rejeitado pelo organismo.
 
De salientar que, um pouco por todo o mundo, muitos investigadores têm tentado desenvolver técnicas para fazer os ossos partidos voltar a crescer através de células estaminais, mas os tipos de células usadas têm sido diferentes e injetadas no paciente, em vez de serem transformadas em ossos fora do corpo.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close