Mundo

Catalunha proíbe corridas de touros

O parlamento da Catalunha aprovou hoje, dia 28 de julho, por maioria, a proibição das corridas de touros na região espanhola a partir de 2012. Com 68 votos a favor, 55 contra e nove abstenções, o parlamento aprovou assim a proposta popular assinada p
Versão para impressão
O parlamento da Catalunha aprovou hoje, dia 28 de julho, por maioria, a
proibição das corridas de touros na região espanhola a partir de 2012.
Com 68 votos a favor, 55 contra e nove abstenções, o parlamento aprovou
assim a proposta popular assinada por 180 mil espanhóis que pediam a
proibição das touradas.

A Catalunha é a segunda região espanhola a proibir as corridas de touros, depois das ilhas Canárias em 1991.

Opositores das touradas manifestaram-se em várias ocasiões nos últimos dias pela aprovação da lei.

“Esperamos que as outras Comunidades de Espanha e outros países, como Portugal, possam aplicar processos legais e políticos para conseguir o mesmo objetivo, que é terminar com o sofrimento animal”, disse, citada pela Lusa, Jordi Casamitjana, porta voz da Plataforma antitaurina Prou! (Basta!).

Na prática, a decisão histórica comportará o desaparecimento no espaço de um ano e meio da única arena da comunidade: a Monumental de Barcelona. De acordo com o jornal espanhol 20 minutos mantêm-se os “correbous” e os “correllaç”, onde são soltos touros e vacas nas povoações a sul de Tarragona, por não implicarem a morte do animal.

As manifestações, junto à praça Monumental de Barcelona, foram ladeadas por protestos de aficionados e membros da comunidade tauromáquica contra a proibição.

A Plataforma para a Promoção e Difusão da Festa dos Touros, associação que está contra a proibição, referiu num comunicado que a possível abolição das touradas terá um custo a cada catalão de 57 euros em indemnizações e outros gastos para os promotores das celebrações taurinas e responsáveis pela praça de touros La Monumental, em Barcelona.

Segundo explicam, a abolição das corridas de touros causará uma indemnização de mais de 300 milhões de euros por parte das administrações públicas para os promotores dos eventos taurinos.

O cálculo remete os 4,4 milhões de bilhetes que a temporada taurina gerou em 2007 em Barcelona, e apela ao direito civil catalão para assegurar que, no caso de impedir o uso de uma licença de atividade, se deve indemnizar o exercício da mesma durante os seguintes 99 anos.

A Plataforma para a Promoção e Difusão da Festa dos Touros, associação que está contra a proibição, referiu num comunicado que a possível abolição das touradas terá um custo a cada catalão de 57 euros em indemnizações e outros gastos para os promotores das celebrações taurinas e responsáveis pela praça de touros La Monumental, em Barcelona.

Segundo explicam, a abolição das corridas de touros causará uma indemnização de mais de 300 milhões de euros por parte das administrações públicas para os promotores dos eventos taurinos.

O cálculo remete os 4,4 milhões de bilhetes que a temporada taurina gerou em 2007 em Barcelona, e apela ao direito civil catalão para assegurar que, no caso de impedir o uso de uma licença de atividade, se deve indemnizar o exercício da mesma durante os seguintes 99 anos.

[Notícia atualizada às 14h46]

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close