Inovação e Tecnologia

Carros elétricos: Carregador sem fios tem selo luso

Um investigador português do Massachusetts Institute of Technology (MIT) desenvolveu, nos EUA, um carregador sem fios e bidirecional para carros elétricos.
Versão para impressão
Um português que está a fazer um doutoramento ao abrigo do Programa MIT Portugal desenvolveu, nos EUA, um carregador sem fios e bidirecional para carros elétricos. Uma solução que, explica Vasco Portugal, poderá ajudar a promover a utilização deste tipo de veículos amigos do ambiente.

por Patrícia Maia

Com uma formação multidisciplinar que vai de arquitetura à engenharia e computação, os principais interesses de investigação de Vasco Portugal passam, desde muito cedo, pela busca de soluções eficientes ao nível ambiental e energético. 

Foi, aliás, no contexto de uImage and video hosting by TinyPicma pesquisa relacionada com habitações inteligentes, a CityHome, que Vasco Portugal discutiu com os colegas envolvidos no melhoramento do CityCar a necessidade de encontrar novas soluções para alguns dos problemas que os carros elétricos apresentam, sobretudo o tempo que demoram a carregar a bateria e a baixa autonomia.

O CityCar é um conceito de veículo urbano elétrico e dobrável, concebido por especialistas do Massachusetts Institute of Technology (MIT), que se tornou realidade, em 2012, através do lançamento do modelo Hiriko (ver foto ao acima e vídeo abaixo).

Mais confortável e eficiente

O investigador português, em parceria com o estudante do MIT de Ciências da Computação, Jason Gao, desenvolveu“um carregador incrustado no passeio, onde o contacto com o carro é feito automaticamente e de forma bidirecional, isto é, o carro pode estar a receber energia da rede, mas se a rede estiver a atravessar uma fase de pico de consumo as baterias dos carros podem também servir para alimentar a própria rede”, o que torna todo o sistema mais fiável e eficiente, explica Vasco Portugal ao Boas Notícias.

Este novo carregador, batizado de EV Charger, apresenta outras vantagens fundamentais para tornar os carros elétricos mais amigos do utilizador. Por um lado, aposta no conforto, já que “é o carro que faz o contacto com o carregador evitando que o condutor tenha de sair do carro, pegar no cabo e fazer a ligação como acontece com a gasolina”, explica. Por outro lado, permite uma “disseminação mais fácil” e é uma solução mais estética, já que estes carregadores podem ser instalados em qualquer local da estrada, de preferência em zonas de estacionamento.

O investigador acrescenta que esta tecnologia poderá ainda, no futuro, ser aplicada a qualquer outro carro, para além do CityCar, e a outros equipamento elétricos – como telemóveis ou eletrodomésticos – “desde que os encaixes sejam adaptados aos equipamentos”, trazendo vantagens em várias áreas tecnológicas.

Carros elétricos “serão uma certeza”

Apesar da resistência que ainda existe em relação aos veículos elétricos, Vasco Portugal não tem dúvidas de que “estes carros vão passar a ser uma certeza”. Até porque o petróleo é “uma forma de energia poluente cujos preços têm tendência a subir, no sentido inverso a energia elétrica com a penetração de fontes de energia renováveis e resultante aumento de eficiência terá uma propensão para baixar os preços”.

O investigador sublinha que estão também a ser feitos importantes progressos, por exemplo ao nível “das autonomias do veículo e das baterias, que estão a ser otimizadas, sendo que nos Estados Unidos já existem até diversos programas de reciclagem de baterias automóveis”.

Image and video hosting by TinyPicO mini protótipo funcional do novo método de carregamento do CityCar já foi construído, testado e apresentado em diversos eventos, como o ‘Boston Transportation Showcase’ e o ‘Inside/Out’, uma das maiores feiras de divulgação científica em Massachusetts.

Os dois investigadores foram, agora, convidados a expor o trabalho na exposição do Media Lab “Wheels + Legs”, uma importante mostra do MIT que tem o objetivo de apresentar trabalhos que se tenham destacado e com potencial para transformar os processos de mobilidade do século XXI.

Financiamento para produto comerciável

Este protótipo foi inteiramente financiado pelo laboratório no MIT mas, em breve, e graças à divulgação que o aparelho tem tido nas feiras, exposições e nos meios de comunicação, os investigadores esperam encontrar financiamento para desenvolver um modelo comercializável.

Vasco Portugal está há quatro anos a tirar um doutoramento em Sistemas Sustentáveis de Energia através do Programa MIT Portugal (financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia). O trabalho do investigador já no Verão passado tinha sido reconhecido no MIT com a atribuição do prestigiado Legatum Fellowship para desenvolver um projeto em Montenegro, um “Support System”, que tem como objetivo criar um laboratório de fabricação de habitações que tire partido da mão-de-obra e dos materiais locais.

“Aquilo que faço não está inteiramente dependente da minha formação mas sim do que que me cativa e quero aprender”, explica ao Boas Notícias o investigador que, há cerca de 9 anos, já tinha desenvolvido um projeto na área da mobilidade urbana – uma versão conceptual de um carro híbrido batizado de Alf@.

Clique AQUI para aceder ao site de Vasco Portugal onde pode acompanhar algumas das suas investigações.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close