Saúde

Cancro do cólon: Aspirina reduz mortalidade em 50%

Uma equipa de cientistas do Leiden University Medical Center, na Holanda, concluiu num estudo que a ingestão diária da aspirina por pacientes idosos diagnosticados com o cancro do cólon pode contribuir para um aumento da esperança de vida.
Versão para impressão
Uma equipa de cientistas do Leiden University Medical Center, na Holanda, concluiu num estudo que a ingestão diária da aspirina por pacientes idosos diagnosticados com o cancro do cólon pode contribuir para um aumento da esperança de vida.
 
O estudo, que foi publicado na edição de Novembro do Journal of the American Geriatrics Society, demonstrou que os pacientes que ingeriram aspirina prolongaram o seu tempo de vida, apresentando menos probabilidades de morte.
 
Para esta investigação, os cientistas acompanharam mais de 500 pacientes diagnosticados com o cancro do cólon, com mais de 70 anos, entre 1998 a 2007. Aqueles a quem foi prescrita aspirina para problemas do coração, após o diagnóstico do cancro, apresentaram uma taxa de mortalidade quase 50%inferior à dos que não usavam este medicamento.
 
Este efeito positivo da aspirina verificado nos doentes com este tipo de cancro ainda foi mais visível nos pacientes que tinham a doença num estado mais avançado e que não realizavam numa sessão de quimioterapia.
 
Desta forma, os investigadores acreditam que a aspirina pode ser um tratamento complementar às terapias tradicionais – como a quimioterapia -aplicadas nos pacientes mais idosos portadores de cancro do cólon.
 
Agora, os investigadores querem explorar mais detalhadamente os benefícios deste medicamento, sobretudo a forma com a aspirina atua no combate a este tipo de cancro e, para esse efeito, vão realizar novos testes clínicos.
 
As propriedades terapêuticas da aspirina já são nem conhecidas junto da comunidade científica, existindo vários estudos que revelam as potencialidades deste medicamento no combate ao cancro.
 
Tal como Boas Notícias noticiou, um estudo de cientistas da universidade de Oxford concluiu, recentemente, que uma pequena dose diária de aspirina pode prevenir ou até ajudar a tratar alguns tipos e cancros.

Clique AQUI para consultar o resumo do estudo (em inglês) publicado no jornal da American Geriatrics Society.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Mais recentes

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close