Ambiente

Câmara de Almada aposta em quintas biológicas

A Câmara de Almada, na margem sul do Tejo, prevê criar uma quinta biológica em resposta às muitas hortas comunitárias que se multiplicam já no concelho. O objetivo é não só combater alguma da ocupação abusiva dos terrenos mas apostar na produção, for
Versão para impressão
A Câmara de Almada, na margem sul do Tejo, prevê criar uma quinta biológica em resposta às muitas hortas comunitárias que se multiplicam já no concelho. O objetivo é não só combater alguma da ocupação abusiva dos terrenos mas apostar na produção, formação e partilha de boas práticas.

De acordo com notícia avançada pela TSF, parte da quinta biológica será explorada pela Câmara e outra parte será atribuída através de candidaturas pessoais por parte da população.

“É importante que as pessoas se apropriem [dos terrenos]. Agora, há uma verdade incontornável, uma das zonas de maior potencial agrícola do nosso concelho, da Sobreda e da Charneca, é um sistema muito irrigado por valas e linhas de água o que teve a ver com a ocupação abusiva das pessoas”, explicou Catarina Freitas, diretora do departamento de estratégia e gestão ambiental da autarquia.

“E trata-se de um território que podia ter outra função e paisagem”, concluiu a responsável pelo projeto.

Um estudo da Universidade do Minho sobre hortas urbanas em Braga, mostra que é preciso escolher bem as espécies que são cultivadas porque há algumas que absorvem mais poluentes e metais pesados que tornam-se perigos para a saúde.

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close