Sociedade

Bolsa do voluntariado já conta com 16500 membros

Desenvolvido pela associação ENTRAJUDA, o site Bolsa do Voluntariado conta já com mais de 16 mil membros, dispostos a ajudar quem mais precisa sem receber por isso qualquer remuneração. Só no mês de dezembro, mil e quinhentos novos voluntários juntar
Versão para impressão
Desenvolvido pela associação ENTRAJUDA, o site Bolsa do Voluntariado conta já com mais de 16 mil membros, dispostos a ajudar quem mais precisa sem receber por isso qualquer remuneração. Só no mês de dezembro, mil e quinhentos novos voluntários juntaram-se à causa.

A função da Bolsa passa por articular a necessidade de trabalho voluntário por área com a disponibilidade para o prestar por parte de pessoas e entidades, potenciando, assim, um “mercado” virtual de voluntariado, lê-se na página web do projeto.

Esta plataforma solidária funciona de forma simples: após a inscrição, os voluntários podem escolher onde pretendem realizar a sua atividade, conforme as suas aptidões, disponibilidade, áreas de interesse e localização. Caso tenham alguma área de especialidade, podem também indicá-lo, o que favorece possibilita uma melhor distribuição da mão-de-obra disponível.

Por outro lado, as instituições que necessitem de voluntários, produtos não alimentares ou serviços podem listar as suas necessidades e procurar voluntários com o perfil mais adequado à sua atividade, ao selecionar determinados critérios preferenciais.

Pedro Ferraz, responsável pela plataforma apoiada pela Caixa Geral de Depósitos e pela Portugal Telecom, explica ao jornal i que o número crescente de voluntários deve-se, em grande parte, ao facto de recém-licenciados, desempregados e reformados quererem manter-se ativos.

“Quando confrontadas com o desemprego ou com a reforma, muitas pessoas vêem no voluntariado uma boa solução para continuarem ocupadas”, diz. Além disso, a inexistência de remuneração não impede que haja outras compensações: “É uma forma de contribuírem para a sociedade”.

E se 2011 promete ser um ano de grandes dificuldades económicas, será também o Ano Europeu do Voluntariado, tal como foi decretado pela União Europeia, para promover uma cidadania mais ativa.

Para a plataforma portuguesa das Organizações Não-Governamentais para o Desenvolvimento (ONGD), o voluntariado tem um papel fundamental no desenvolvimento social da Europa. Há, por isso, a necessidade de mais voluntários (embora, na Europa, estes correspondam já a 100 milhões de pessoas) para alcançar os objetivos de desenvolvimento do milénio (ODM).

Aceda à Bolsa do Voluntariado em www.bolsadovoluntariado.pt.

[Notícia sugerida pelo utilizador Vítor Fernandes]

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close