Ambiente

Bacalhau regressa às águas canadianas

NULL
Versão para impressão
As populações de bacalhau ao largo da Nova Escócia, no Canadá, estão a dar sinais de recuperação, segundo explicam os cientistas canadianos na revista Nature.
 
A biomassa do bacalhau nas águas canadianas atingiu níveis “que se aproximam dos observados no período de pré-colapso”, garante a equipa de Kenneth Frank, do Instituto de Oceanografia da Nova Escócia, citada pelo Público.
 
Segundo a equipa, o atraso na recuperação do bacalhau do Canadá, deve-se a uma troca de papéis que houve entre predadores e presas. Os peixes maiores, como o bacalhau, alimentavam-se de peixes mais pequenos que, entretanto se começaram a alimentar de crias e ovos dos peixes maiores, impedindo assim que o seu número aumentasse.
 
O desaparecimento dos peixes maiores fez com que os peixes mais pequenos aumentassem a uma escala de 900%, acabando assim com as fontes de alimento. Livres dos seus predadores, o bacalhau, e outras espécies de peixe graúdo, retomaram o crescimento.

Na década de 1970 pescavam-se em média 100 mil toneladas de bacalhau anualmente na zona da Nova Escócia, o que levou à proibição da pesca do bacalhau naquela zona em 1993.

Apesar do aumento, o bacalhau que povoa os bancos pesqueiros canadianos não é um pescado tão rico como antes. Os animais estão mais pequenos, os de cinco anos têm em média, apenas 60 por cento do peso que tinham antes do colapso.

[Esta notícia foi sugerida por Patrícia Guedes]

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close