Ciência

Astrónomos descobrem açúcar em torno de estrela

Pela primeira vez, um grupo internacional de astrónomos detetou a presença de açúcar em torno de uma estrela jovem. A descoberta poderá ajudar os cientistas a entender mais sobre a possibilidade de formação de vida noutras partes do Universo.
Versão para impressão
Pela primeira vez, um grupo internacional de astrónomos detetou a presença de açúcar em torno de uma estrela jovem. A descoberta, anunciada a semana passada pelo Observatório Europeu do Sul (ESO), poderá ajudar os cientistas a entender mais sobre a possibilidade de formação de vida noutras partes do Universo.
 
As observações feitas por meio do radiotelescópio ALMA, situado no Deserto do Atacama, num planalto chileno a 5 mil metros de altura, permitiram a captação de moléculas de açúcar – mais especificamente de glicoaldeído – no gás que rodeia uma estrela binária jovem, a IRAS 16293-2422, que se localiza a 400 anos-luz da Terra e tem uma massa idêntica à do Sol.
 
“Encontrámos glicoaldeído no disco de gás e pó que rodeia esta estrela recém-formada. Trata-se de um açúcar simples, não muito diferente do que pomos no café”, explicou Jes Jørgensen, principal autor do estudo, em comunicado divulgado pelo ESO.
 
“Esta molécula é um dos ingredientes na formação do RNA que, tal como o DNA, ao qual está ligado, é um dos blocos constituintes da vida”, acrescentou o especialista do Instituto Niels Bohr da Dinamarca.
 
Para estas observações foi indispensável a alta sensibilidade do ALMA. Graças à sua precisão, os astrónomos constataram que as moléculas de açúcar estão a cair em direção a uma das estrelas do sistema, o que é “verdadeiramente excitante”, uma vez que não só se encontram no lugar certo para encontrarem o seu caminho até um planeta, como estão também a deslocar-se na direção certa.
 
“A grande questão é: qual a complexidade que estas moléculas podem atingir antes de serem incorporadas em novos planetas? Esta questão pode dizer-nos algo sobre como a vida aparece noutros locais e as observações do ALMA serão vitais para desvendar este mistério”, concluiu Jes Jørgensen.
 
Esta não é a primeira vez que os astrónomos encontram glicoaldeído no espaço interestelar, mas é a primeira vez que o achado se situa tão perto de uma estrela do tipo solar, a distâncias comparáveis à distância de Urano ao Sol, no Sistema Solar, o que prova que alguns dos componentes químicos necessários à vida existiam neste sistema na altura da formação planetária.
 
O trabalho de Jørgensen e da sua equipa foi descrito num artigo científico publicado online a 29 de Agosto na revista especializada Astrophysical Journal Letters e pode ser consultado AQUI (em inglês).

[Notícia sugerida por David Ferreira, Elsa Martins, Raquel Baêta e Maria Manuela Mendes]

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close