Negócios e Empreendorismo

Associação Portuguesa da Castanha nasce em Vila Real

A Associação Portuguesa da Castanha será formalizada esta terça-feira, em Vila Real, e tem como objetivo incentivar o consumo do fruto seco no país.
Versão para impressão
Cerca de 30 entidades nacionais vão promover a produção de castanha em Portugal através de uma nova organização. A Associação Portuguesa da Castanha será formalizada no dia 26 de Fevereiro, em Vila Real, e tem como objetivo incentivar o consumo do fruto seco no país.
 
A comunidade nasce no âmbito da RefCast, proposta de investimento criada há três anos que defende o aumento da área de produção e o incentivo aos portugueses para que aumentem o consumo de castanha.
 
José Gomes Laranjo, investigador da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro(UTAD), disse à agência Lusa que “uma boa parte dos nossos soutos sofre de problemas graves de doenças e de fertilidade, que lhes tiram capacidade produtiva”.
 
O promotor da iniciativa salienta que a RefCast quer dar resposta a alguns desafios do setor, passando pelo “aumento da produção e da produtividade das áreas de souto” e pelo combate às doenças que afetam os castanheiros, como o cancro e a tinta.
 
Para o investigador o aumento da produção passa por “ensinar os agricultores” e recorrer aos meios disponíveis, como os porta exertos híbridos que ajudam a controlar o problema da tinta e fazem análises e corrigem a fertilidade do solo. “Isto pode aumentar a quantidade de castanha e é isso que nós precisamos”, destacou.
 
Em Portugal existem cerca de 35 mil hectares de matas de castanheiro e, segundo José Gomes Laranjo, estima-se que entre 17 mil e 20 mil famílias encontram-se envolvidas na produção nacional, que ronda as 45 e as 50 mil toneladas.
 
A produção de castanha rede aos produtores cerca de 50 milhões de euros, sendo que num ano a média de exportação portuguesa atinge as 12 mil toneladas deste fruto seco.
 
A Associação Portuguesa da Castanha vai ainda permitir a candidatura a fundos comunitários de apoio à produção. Segundo a agência Lusa, este fruto é considerado por muitos o petróleo ou o ouro da montanha.
 
A escritura da organização vai decorrer na terça-feira, numa cerimónia aberta na UTAD, onde ficará sedeada a associação. Após o registo da associação será realizada a primeira assembleia geral, seguida da eleição e tomada de posse dos órgãos sociais.
 
A comunidade conta com cerca de 30 associados fundadores, entre pessoas coletivas ou singulares, associações, empresas e instituições públicas.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close