Ambiente

Almada: Encontro mundial sobre testes em animais

A Sociedade Portuguesa para a Educação Humanitária vai organizar a 1ª Conferência Internacional de Alternativas à Experimentação Animal no Fórum Municipal Romeu Correia, em Almada, no próximo fim-de-semana, dias 26 e 27 de Janeiro de 2013.
Versão para impressão
A Sociedade Portuguesa para a Educação Humanitária (SPEH) está a realizar, este sábado e domingo, a 1ª Conferência Internacional de Alternativas à Experimentação Animal no Fórum Municipal Romeu Correia, em Almada.

O principal objetivo da conferência é promover o debate internacional e a partilha de informação relativamente às alternativas existentes – e validadas – à experimentação animal, com o objetivo de substituir estes métodos por outros mais éticos como as soluções 'in vitro', as culturas de células ou os modelos computacionais.

O evento conta com a presença dos professores Marc Bekoff e Horst Spielmann, para além de um painel de excelência constituído por oradores nacionais e internacionais que se dedicam ao desenvolvimento, validação e legislação de alternativas à experimentação animal.

Com este evento, a SPEH pretende promover a política dos 3R (Replacement, Refinement and Reduction – Substituição, Refinamento e Redução, em português) na área dos testes com animais em Portugal e no resto do mundo.

Europa endure leis contra uso de animais

Em 2010, a Europa proibiu testes em grandes macacos e endureceu as regras para diminuir o número de animais usados em pesquisas científicas.

As leis aprovadas nesse ano estabelecem que é absolutamente proibido realizar testes em primatas para pesquisas na área de doenças como alzheimer, cancro ou parkinson, desde que se prove que é possível obter os mesmos resultados através de outros métodos.

A legislação estabelece ainda que se deve diminuir ao máximo os níveis de dor infligida aos animais aprovando, inclusive, uma escala que define a dor que os animais vão sentir e só em casos de dor moderada pode o animal ser utilizado num teste.

100 milhões de animais usados em testes

Mesmo assim, de acordo com a British Union for the Abolition of Vivisection (BUAV), todos os anos são usados cerca de 100 milhões de animais vertebrados (desde ratos a primatas) em experimentação animal, 10 milhões dos quais na Europa.

Recentemente, investigadores do Centro de Neurociências (CNC) e da Faculdade de Farmácia da Universidade de Coimbra (UC) criaram um teste pioneiro para detetar a potencial reação alérgica da pele aos químicos que permitirá reduzir significativamente os ensaios feitos em animais na indústria da cosmética.

Clique AQUI para aceder ao site da conferência.

[Notícia sugerida por Neusa do Vale]

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close