Consultório Médico Em Destaque

A importância das atividades extracurriculares

Com moderação e bom senso na escolha e frequência das várias atividades extracurriculares pode ajudar o seu filho a desenvolver sentido de responsabilidade, reduzir problemas de comportamento e aumentar a autoconfiança.
Versão para impressão

por Natalina Rodrigues,  médica de Medicina Geral e Familiar

 

O início de aulas é sinónimo de retomar a rotina, de voltar às regras e às tarefas diárias, e nem sempre é fácil conciliar os horários dos pais e dos filhos. Por este motivo e não só, muitos pais optam por colocar os seus filhos em atividades extracurriculares.

O enriquecimento cultural, social e cívico, assim como o desenvolvimento psicológico e físico da criança constam no leque das principais competências que são trabalhadas nas várias atividades, tais como a autoestima, o raciocínio lógico, a coordenação motora, a autonomia e a responsabilidade, que diretamente e indiretamente podem contribuir para uma melhoria no rendimento escolar e social. Outro benefício destas atividades consiste na diminuição da permanência prolongada em frente à televisão, computador e ou outro tipo de tecnologias.

Quer no início do ano letivo, como no decorrer deste, é sempre uma boa altura para refletir e escolher quais as atividades que os nossos filhos poderão frequentar. A oferta de atividades extracurriculares é cada vez mais diversificada e escolher a mais adequada não é uma tarefa fácil: entre música, futebol, natação, ginástica, línguas, ballet e muitas outras, qual escolher?

Deve ser priorizada uma atividade que o seu filho goste e que não seja uma obrigação! Portanto, escolha a atividade pela qual a criança demostre maior interesse. No caso de dúvida, antes de inscrever o seu filho proponha uma aula experimental. Os desportos de equipa (como futebol, ginástica, entre outros) são uma ótima forma de interação social, de diminuir níveis de ansiedade e de treinar a coordenação motora. As crianças e jovens que integram grupos, como por exemplo escuteiros, desenvolvem a partilha de responsabilidades e a interação com pessoas de várias faixas etárias.

Deve existir um número limite de atividades extracurriculares a frequentar, pois o excesso destas pode ser deletério para o bem estar físico e psicológico da sua criança. A presença de alguns sinais de alerta podem ser indicativos de que algo não está bem, como por exemplo, alterações do padrão habitual do sono, cansaço diário extremo e diminuição do desempenho escolar. Nestes casos, é necessário tentar compreender quais são os motivos para o sucedido e se necessário suspender ou trocar as atividades realizadas. Não se esqueça que também é importante a criança ter tempo livre para estar com a família, para brincar ou até mesmo descansar.

No decorrer do tempo é importante avaliar a manutenção do gosto e da motivação do seu filho pela atividade realizada. Com moderação e bom senso na escolha e frequência das várias atividades extracurriculares pode ajudar o seu filho a desenvolver sentido de responsabilidade, reduzir problemas de comportamento e aumentar a autoconfiança.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Mais recentes

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close