Sociedade

Violência doméstica: Menos casos, mais denúncias

O vice-presidente da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género, Manuel Albano, declarou esta quarta feira à agência Lusa que a violência doméstica "tem diminuído em Portugal ao mesmo tempo que as denúncias destes casos aumentaram".
Versão para impressão
O vice-presidente da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género, Manuel Albano, declarou esta quarta feira à agência Lusa que a violência doméstica “tem diminuído em Portugal ao mesmo tempo que as denúncias destes casos aumentaram”.

Em 2009, há registo de “menos 10% dos casos de pessoas agredidas no seio familiar” face ao ano anterior, apontou o responsável. As denúncias destes casos aumentaram na mesma proporção, ou seja, em 10%. Só em 2009, deram entrada na PSP e GNR mais de “30 mil 400 participações”.

Manuel Albano reconhece que o fenómeno da violência doméstica “é cada vez mais visível” ao nível da opinião pública, mas essa notoriedade deve-se, por um lado, a uma maior “consciencialização deste flagelo e, por outro, um reconhecimento de que há mecanismos, ao nível do Estado, de grande apoio às vítimas”.

Apesar de garantir que a grande aposta do Governo para combater a violência doméstica é a prevenção, o representante da secretária de Estado da Igualdade referiu-se aos bons resultados do serviço telefónico que visa melhorar a qualidade de vida e a segurança das vítimas de agressão doméstica, assim como a vigilância eletrónica.

Neste último caso, a vítima tem um pager que sinaliza uma eventual aproximação do agressor. O sinal chega também à central de controlo da Direção Geral de Reinserção Social (DGRS).

Manuel Albano falou à Lusa à margem das Jornadas Sociais Intermunicipais, que decorrem na Póvoa de Varzim esta quarta feira, e que são subordinadas ao tema “a violência da família: quando o perigo mora connosco”.

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub