i9magazine

Uri Aizik: O exemplo israelita

Versão para impressão

Foi, durante dez anos, consultor de gestão. Teve muitas empresas, ditas tradicionais, como pubs, discotecas e uma empresa de consultoria. Admite que falhou várias vezes em novos negócios. Atualmente é vice-presidente de estratégia na MyGuarantee (como automatizar garantias e torná-las mais eficientes, para que sejam todas virtuais) e num futuro próximo irá começar a importar para Israel cosméticos da Rússia.

Inovar é…
Fazer algo diferente, mas com uma volta.

Virtudes de um empreendedor
Diria que a principal é a falta de medo: não ter medo de ouvir “não” inúmeras vezes (dos pais, de amigos, de empresários…); não ter vergonha de começar o negócio; sair e deixar a zona de conforto.

A chave para o sucesso é…
Realmente querer!
Vou fazer uma analogia: perder peso.
Facto #1: as pesquisas indicam que a maioria de nós afirma querer perder algum peso.
Facto#2: muitas pessoas indicam que “querem mesmo perder peso” e que já tentaram muitos métodos e dietas, mas ainda não sabem como fazer isso.
É muito simples – escolher uma dieta qualquer – o resultado final é o mesmo: queimar mais calorias do que as consumidas!
Então, porque é que a maioria de nós está em constante luta com o seu peso? Porque na verdade não querem perder peso. É mais confortável ser um “aficionado do sofá” do que sair de casa e correr, fazer yoga ou ginástica. É mais confortável ser empregado numa empresa do que ter um negócio próprio.

Qual é a sua perceção do empreendedorismo e dos empreendedores portugueses?
É fantástica!
Antes de chegar a Portugal, ouvi que Lisboa tinha sido eleita a Região Empreendedora Europeia em 2015, portanto tinha grandes expectativas e elas verificaram-se.
Num par de dias vi muitas start-ups, empreendedoras e todo um ecossistema.
Participei na pitch night Fabrikat, no demo-day da Nova SBE e da Beta-i e na Go Youth Conference. Uau!

Como é promovido o ecossistema empreendedor em Israel?
Israel é líder em start-ups: por volume está em segundo lugar, logo a seguir aos Estados Unidos; mas por percentagem (per capita) é número um do mundo.

Acredito que seja pela educação. O IDC Herzliya tem mais de dez programas empresariais diferentes, três aceleradores e muito mais. No ano passado, mais de uma dúzia de estudantes abriu um negócio após o curso de empreendedorismo.

Há muitas start-ups israelitas a que devemos estar atentos neste ano?
Em 2015, emergiram mais de 1400 novas start-ups, 373 levantaram fundos (3,58 biliões de dólares) e 69 fizeram o exit (o investidor conseguiu recuperar o seu investimento e teve ganhos). Portanto, é difícil fazer previsões. No entanto, parece que há três indústrias “quentes”: realidade virtual, impressão 3D e drones.

Quais são os maiores erros que um novo empreendedor comete?
Ficar apaixonado pela ideia. Eu próprio tive esta experiência.

Lema de vida
Divertir-me! Viver o nosso sonho, não o de outra pessoa!

App favorita
FairFly. Uma das melhores que vi neste ano!

Depois de reservar um bilhete de avião, coloca na aplicação os detalhes e a equipa da FairFly verifica se os preços descem. Caso aconteça, informam-nos e podemos alterar.

Para alguém que voa muito, esta aplicação ajudou-me a poupar muito dinheiro!

Hobbies
Fazer malas – todos os anos conheço um novo país!

// portal.idc.ac.il

O conteúdo Uri Aizik: O exemplo israelita aparece primeiro em i9 magazine.

Comentários

comentários

Pub

Aid Global

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub