i9magazine

Uri Aizik: O exemplo israelita

Versão para impressão

Foi, durante dez anos, consultor de gestão. Teve muitas empresas, ditas tradicionais, como pubs, discotecas e uma empresa de consultoria. Admite que falhou várias vezes em novos negócios. Atualmente é vice-presidente de estratégia na MyGuarantee (como automatizar garantias e torná-las mais eficientes, para que sejam todas virtuais) e num futuro próximo irá começar a importar para Israel cosméticos da Rússia.

Inovar é…
Fazer algo diferente, mas com uma volta.

Virtudes de um empreendedor
Diria que a principal é a falta de medo: não ter medo de ouvir “não” inúmeras vezes (dos pais, de amigos, de empresários…); não ter vergonha de começar o negócio; sair e deixar a zona de conforto.

A chave para o sucesso é…
Realmente querer!
Vou fazer uma analogia: perder peso.
Facto #1: as pesquisas indicam que a maioria de nós afirma querer perder algum peso.
Facto#2: muitas pessoas indicam que “querem mesmo perder peso” e que já tentaram muitos métodos e dietas, mas ainda não sabem como fazer isso.
É muito simples – escolher uma dieta qualquer – o resultado final é o mesmo: queimar mais calorias do que as consumidas!
Então, porque é que a maioria de nós está em constante luta com o seu peso? Porque na verdade não querem perder peso. É mais confortável ser um “aficionado do sofá” do que sair de casa e correr, fazer yoga ou ginástica. É mais confortável ser empregado numa empresa do que ter um negócio próprio.

Qual é a sua perceção do empreendedorismo e dos empreendedores portugueses?
É fantástica!
Antes de chegar a Portugal, ouvi que Lisboa tinha sido eleita a Região Empreendedora Europeia em 2015, portanto tinha grandes expectativas e elas verificaram-se.
Num par de dias vi muitas start-ups, empreendedoras e todo um ecossistema.
Participei na pitch night Fabrikat, no demo-day da Nova SBE e da Beta-i e na Go Youth Conference. Uau!

Como é promovido o ecossistema empreendedor em Israel?
Israel é líder em start-ups: por volume está em segundo lugar, logo a seguir aos Estados Unidos; mas por percentagem (per capita) é número um do mundo.

Acredito que seja pela educação. O IDC Herzliya tem mais de dez programas empresariais diferentes, três aceleradores e muito mais. No ano passado, mais de uma dúzia de estudantes abriu um negócio após o curso de empreendedorismo.

Há muitas start-ups israelitas a que devemos estar atentos neste ano?
Em 2015, emergiram mais de 1400 novas start-ups, 373 levantaram fundos (3,58 biliões de dólares) e 69 fizeram o exit (o investidor conseguiu recuperar o seu investimento e teve ganhos). Portanto, é difícil fazer previsões. No entanto, parece que há três indústrias “quentes”: realidade virtual, impressão 3D e drones.

Quais são os maiores erros que um novo empreendedor comete?
Ficar apaixonado pela ideia. Eu próprio tive esta experiência.

Lema de vida
Divertir-me! Viver o nosso sonho, não o de outra pessoa!

App favorita
FairFly. Uma das melhores que vi neste ano!

Depois de reservar um bilhete de avião, coloca na aplicação os detalhes e a equipa da FairFly verifica se os preços descem. Caso aconteça, informam-nos e podemos alterar.

Para alguém que voa muito, esta aplicação ajudou-me a poupar muito dinheiro!

Hobbies
Fazer malas – todos os anos conheço um novo país!

// portal.idc.ac.il

O conteúdo Uri Aizik: O exemplo israelita aparece primeiro em i9 magazine.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close