Sociedade

Universidades portuguesas em ranking internacional

As universidades de Lisboa e do Porto integram o ranking das 500 melhores universidades do mundo, segundo o Academic Ranking of World Universities, elaborado pela Universidade de Jiaotong, na China.

Versão para impressão
As universidades de Lisboa e do Porto integram o ranking das 500 melhores universidades do mundo, segundo o Academic Ranking of World Universities, elaborado pela Universidade de Jiaotong, na China.

As duas universidades são as únicas portuguesas a ocupar um lugar neste ranking, na posição 401.

Citado pelo jornal Público, António Nóvoa, reitor da Universidade de Lisboa (UL) considera “uma honra” a Universidade estar incluída nas 500 melhores universidades do mundo.

“É excelente que a Universidade do Porto também esteja; e é fundamental que mais universidades portuguesas entrem nesta lista. É um trabalho que temos a obrigação de fazer, colectivamente”, afirmou António Nóvoa.

No entender de Marques dos Santos, reitor da Universidade do Porto (UP), este ranking é um “indicador idóneo e respeitado” e demonstra que a estratégia que a instituição tem desenvolvido é “correta e auspiciosa”.

No topo da lista, muito contestada pela Europa, em especial pela França, aparece pelo oitavo ano consecutivo a universidade de Harvard, seguida de Berkeley e Stanford que trocam de posições no ranking este ano. As universidades norte-americanas são, de resto, as mais cotadas com 17 dos 19 primeiros lugares.

Na Europa apenas as britânicas Cambridge (5º) e Oxford (10º) estão entre os primeiros lugares. A Alemanha, por seu lado, está a ganhar terreno aos EUA (154 universidades) como o segundo país mais com mais estabelecimentos classificados (39 universidades), seguido pelo Reino Unido com 38 instituições classificadas.

Feita desde 2003, esta classificação nasceu quando a China decidiu dotar-se de universidades de prestígio internacional. De acordo com a Lusa, os critérios de Jiaotong consideram essencialmente o desempenho de um instituto em matéria de investigação, não equacionando a formação.

Ou seja, é considerado o número de prémios Nobel, as medalhas Fields (equivalentes ao Nobel em Matemática) e os artigos publicados em revistas unicamente anglo-saxónicas como a Nature ou a Science.

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório