Sociedade

Universidades portuguesas em ranking internacional

As universidades de Lisboa e do Porto integram o ranking das 500 melhores universidades do mundo, segundo o Academic Ranking of World Universities, elaborado pela Universidade de Jiaotong, na China.

Versão para impressão
As universidades de Lisboa e do Porto integram o ranking das 500 melhores universidades do mundo, segundo o Academic Ranking of World Universities, elaborado pela Universidade de Jiaotong, na China.

As duas universidades são as únicas portuguesas a ocupar um lugar neste ranking, na posição 401.

Citado pelo jornal Público, António Nóvoa, reitor da Universidade de Lisboa (UL) considera “uma honra” a Universidade estar incluída nas 500 melhores universidades do mundo.

“É excelente que a Universidade do Porto também esteja; e é fundamental que mais universidades portuguesas entrem nesta lista. É um trabalho que temos a obrigação de fazer, colectivamente”, afirmou António Nóvoa.

No entender de Marques dos Santos, reitor da Universidade do Porto (UP), este ranking é um “indicador idóneo e respeitado” e demonstra que a estratégia que a instituição tem desenvolvido é “correta e auspiciosa”.

No topo da lista, muito contestada pela Europa, em especial pela França, aparece pelo oitavo ano consecutivo a universidade de Harvard, seguida de Berkeley e Stanford que trocam de posições no ranking este ano. As universidades norte-americanas são, de resto, as mais cotadas com 17 dos 19 primeiros lugares.

Na Europa apenas as britânicas Cambridge (5º) e Oxford (10º) estão entre os primeiros lugares. A Alemanha, por seu lado, está a ganhar terreno aos EUA (154 universidades) como o segundo país mais com mais estabelecimentos classificados (39 universidades), seguido pelo Reino Unido com 38 instituições classificadas.

Feita desde 2003, esta classificação nasceu quando a China decidiu dotar-se de universidades de prestígio internacional. De acordo com a Lusa, os critérios de Jiaotong consideram essencialmente o desempenho de um instituto em matéria de investigação, não equacionando a formação.

Ou seja, é considerado o número de prémios Nobel, as medalhas Fields (equivalentes ao Nobel em Matemática) e os artigos publicados em revistas unicamente anglo-saxónicas como a Nature ou a Science.

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close