Sociedade

Transporte Solidário serve idosos da Alta de Lisboa

NULL
Versão para impressão
Os idosos da Alta de Lisboa que precisem de se deslocar têm ao seu dispor um Transporte Solidário que os leva a qualquer parte dentro das freguesias do Lumiar, Charneca e Ameixoeira. O serviço disponibiliza uma carrinha que leva a traz as pessoas, assegurando a sua mobilidade e segurança.

A carrinha dispõe de nove lugares e serve, atualmente, 40 pessoas. No entanto, a Associação de Moradores do Bairro da Cruz Vermelha, no Lumiar, promotora do serviço, garantiu à Lusa que pode servir até 100 idosos. Apesar de ser apenas uma carrinha, devido à “grande flexibilidade de horários” é possível transportar várias pessoas.

“Enquanto um está nas compras, leva-se outro ao centro de saúde”, explicou Carla Pouzinho da associação. “Se os idosos precisam de ir a uma consulta, ir às compras ou visitar um amigo podem sempre solicitar o transporte solidário. É gratuito”, frisou.

Qualquer pessoa a partir dos 55 anos pode requisitar o Transporte Solidário, bastando ligar para a associação com dois dias de antecedência e dizer para onde pretende deslocar-se. Depois de ter os seus afazeres concluídos, os utentes ligam para o motorista que os vai buscar.

Até ao momento, a associação está contente com os resultados, já que o feedback tem sido positivo. O objetivo é “promover a segurança, porque há, na Alta de Lisboa, bairros problemáticos”. Além disso aquela é uma zona “em que há uma grande deficiência de transportes e uma população muito envelhecida”, contou à Lusa.

A carrinha desloca as pessoas às compras, ao médico, ou até mesmo para visitar um amigo. Fora da freguesia, excecionalmente, conduz os utentes ao Hospital de Santa Maria que serve a população daquela zona. A iniciativa arranjou o financiamento e disponibilizou a carrinha, mas está preocupada com o futuro do serviço, porque o contrato com o parceiro termina em Fevereiro. 

“Temos de arranjar apoios para que não pare e possamos continuar a dar apoio aos nossos seniores. O financiamento acaba em fevereiro e é difícil continuar sem dinheiro” para manter a carrinha, explicou Carla Pouzinho.“Uma das nossas lutas é manter o projeto de pé”.

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório