Mundo

Queda global da mortalidade infantil

A revista norte-americana The Lancet revela dados acerca da mortalidade infantil em 187 países, entre 1970 e 2010. Portugal é um dos países com uma taxa de mortalidade mais baixa entre crianças até cinco anos de idade. A nível global, os números tamb
Versão para impressão
A revista norte-americana The Lancet revela dados acerca da mortalidade infantil em 187 países, entre 1970 e 2010. Portugal é um dos países com uma taxa de mortalidade mais baixa entre crianças até cinco anos de idade. A nível global, os números também são positivos: o valor de óbitos previstos pela UNICEF em 2008 (oito milhões) foi reduzido em mais de 800 mil.

Em 2008, por cada mil crianças portuguesas nascidas, 3,3 morreram. Este foi o cenário apresentado pelo Ministério da Saúde e revela uma evolução bastante positiva relativamente aos dados de 2001 (4,8 óbitos por cada mil nascimentos) e mais ainda de 1970 (74 mortes por mil).

Além de uma maior formação dos pediatras, outra das causas apontadas para esta descida é a subida da vacinação. O transporte especializado de recém-nascidos e a criação da rede de centros de saúde são também salientados pela alta comissária para a Saúde, Maria do Céu Machado: “Nestes locais, as grávidas e as crianças passaram a ter um acompanhamento regular de prevenção e não apenas quando estavam doentes”, explica ao Diário de Notícias.

Mortalidade infantil global desce 2% por ano

O desenvolvimento de algumas vacinas, a toma de suplementos de vitamina A, a proteção contra mosquitos e a aplicação de melhores tratamentos para a sida, diarreia e pneumonia são alguns dos fatores que explicam a rápida queda da taxa de mortalidade infantil registada de ano para ano, em todo o mundo.

Segundo o estudo patrocinado pela Fundação de Bill Gates, a cada ano morrem, em média, menos 2% de crianças.

Ainda assim, prevê-se que este ano morram 7,7 milhões de crianças com menos de cinco anos – em 1970 foram registados 12 milhões de óbitos – sendo que a maioria dos casos registar-se-á no continente africano.

Singapura e Islândia são os países com melhores registos, onde em cada mil nascimentos apenas morrem duas crianças. Por outro lado, os EUA e o Reino Unido são os países desenvolvidos que apresentam uma evolução menos favorável.

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório