Inovação e Tecnologia

Portugueses criam sistema para condução mais segura

Investigadores do Instituto de Telecomunicações e da Universidade do Porto desenvolveram um sistema de comunicações digitais entre veículos. Funcionando como "espelho retrovisor", o See-Through ajuda o condutor a realizar algumas manobras de forma
Versão para impressão
Investigadores do Instituto de Telecomunicações e da Universidade do Porto desenvolveram um sistema de comunicações digitais entre veículos. Funcionando como “espelho retrovisor”, o See-Through ajuda o condutor a realizar  algumas manobras de forma mais segura.  
 
O sistema consiste na instalação de “uma câmara de para-brisas orientada para a frente” que envia sinais entre os veículos que circulam na estrada, aumentando o campo de visão dos condutores. 
 
“Imagine que estou atrás de um grande camião que não me permite ver através dele, tornando difícil e desconfortável a avaliação, por exemplo, de uma ultrapassagem. Eu consigo, através do sistema de comunicação entre veículos que desenvolvemos, ir buscar a imagem da câmara no para-brisas do camião e transmitir essa visão ao condutor que vem atrás”, explica Michel Ferreira, um dos responsáveis do projeto, à Lusa. 
 

Segundo Michel Ferreira, da Faculdade de Ciências do Porto, esta transmissão de vídeo é feita com um atraso “quase insignificante”, de 200 milssegundos, “que não afeta em termos de segurança a manobra de ultrapassagem”.
 
“A ideia é criar uma realidade aumentada da forma mais intuitiva possível para que o condutor consiga perceber exatamente a informação que estamos a passar”, conta o responsável.
 
O See-Through, apresentado no International Symposium on Mixed and Augmented Reality (ISMAR), que decorreu na Austrália,  surge no âmbito do projeto DRIVE-IN, financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia. 
 
A motivação de Michel Ferreira para o desenvolvimento do sistema está relacionada com os perigos diários relacionados com a condução. “A condução é provavelmente a atividade diária mai perigosa na qual se envolve um cidadão comum e os acidentes rodoviários são mesmo a oitava maior causa de morte a nível mundial”, conclui o responsável. 

Notícia sugerida por Maria Pandina 

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub