Inovação e Tecnologia

Portugueses criam sistema para condução mais segura

Investigadores do Instituto de Telecomunicações e da Universidade do Porto desenvolveram um sistema de comunicações digitais entre veículos. Funcionando como "espelho retrovisor", o See-Through ajuda o condutor a realizar algumas manobras de forma
Versão para impressão
Investigadores do Instituto de Telecomunicações e da Universidade do Porto desenvolveram um sistema de comunicações digitais entre veículos. Funcionando como “espelho retrovisor”, o See-Through ajuda o condutor a realizar  algumas manobras de forma mais segura.  
 
O sistema consiste na instalação de “uma câmara de para-brisas orientada para a frente” que envia sinais entre os veículos que circulam na estrada, aumentando o campo de visão dos condutores. 
 
“Imagine que estou atrás de um grande camião que não me permite ver através dele, tornando difícil e desconfortável a avaliação, por exemplo, de uma ultrapassagem. Eu consigo, através do sistema de comunicação entre veículos que desenvolvemos, ir buscar a imagem da câmara no para-brisas do camião e transmitir essa visão ao condutor que vem atrás”, explica Michel Ferreira, um dos responsáveis do projeto, à Lusa. 
 

Segundo Michel Ferreira, da Faculdade de Ciências do Porto, esta transmissão de vídeo é feita com um atraso “quase insignificante”, de 200 milssegundos, “que não afeta em termos de segurança a manobra de ultrapassagem”.
 
“A ideia é criar uma realidade aumentada da forma mais intuitiva possível para que o condutor consiga perceber exatamente a informação que estamos a passar”, conta o responsável.
 
O See-Through, apresentado no International Symposium on Mixed and Augmented Reality (ISMAR), que decorreu na Austrália,  surge no âmbito do projeto DRIVE-IN, financiado pela Fundação para a Ciência e Tecnologia. 
 
A motivação de Michel Ferreira para o desenvolvimento do sistema está relacionada com os perigos diários relacionados com a condução. “A condução é provavelmente a atividade diária mai perigosa na qual se envolve um cidadão comum e os acidentes rodoviários são mesmo a oitava maior causa de morte a nível mundial”, conclui o responsável. 

Notícia sugerida por Maria Pandina 

Comentários

comentários

PUB

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub

Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais aqui.

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close