Inovação e Tecnologia

Portugueses criam chão que produz eletricidade

NULL
Versão para impressão

Uma dupla de portugueses desenvolveu um projeto que produz eletricidade através da energia que as pessoas e os veículos libertam sobre uma superfície. Filipe Casimiro e Francisco Duarte, licenciados em engenharia eletromecânica, batizaram o mecanismo de Waynergy.

por Ana Rita Correia

Segundo explicou Francisco Duarte ao Boas Notícias, quando um automóvel ou uma pessoa caminha sobre a superfície Waynergy o seu movimento é absorvido pelas placas colocadas no pavimento. Essa energia é posteriormente convertida em eletricidade que pode ser consumida na zona em que se encontra o Waynergy.

Cada passo poderá produzir até 10 watts, enquanto que a passagem de um veículo pode chegar aos 240 watts de energia. Para se ter uma ideia do que isso significa, basta pensar que 200 quilowatts por hora é suficiente para alimentar uma casa durante um mês.

Desta forma, se existir um pavimento feito com blocos da Waynergy por exemplo numa paragem de metro, a conta de eletricidade daquela estação pode ser substancialmente reduzida. Um dos pontos mais interessantes desta tecnologia é que vai aproveitar energia que atualmente é desperdiçada.

O projeto está a ser dirigido pela empresa criada pelos dois engenheiros, a Waydip mas Francisco Duarte explicou que o Waynergy “ainda não está completamente concluído”. No entanto, o produto deve estar no mercado em 2012, e a dupla espera levá-lo ao panorama internacional até 2013. 

Este tipo de sistema não é novo. Ainda recentemente, a empresa japonesa Soundpower realizou testes em duas estações de comboio de Tóquio, por onde passam cerca de 2,4 milhões de pessoas por semana. Também o projeto piloto da israelita Innowattech foi testado entre 2008 e 2009 em rodovias e aeroportos: uma inovação que já está no mercado.

Gerar energia em aeroportos e passadeiras

O Waynergy deverá ser introduzido sob o alcatrão ou mesmo em substituição deste. As principais zonas de implementação são aquelas onde o movimento – quer de pessoas, quer de veículos – for maior.

“Em relação aos veículos, devem ser zonas de aceleração, como portagens e lombas, onde se perde muita energia”, disse Francisco ao Boas Notícias. Também locais de grande afluência como aeroportos, passadeiras e ginásios podem ser especialmente privilegiados.

O projeto nacional já recebeu dois prémios, no ano passado. Venceu o Prémio Inovação EDP Richard Branson 2010 e também o ISCTE-IUL MIT Portugal Venture Competition (Sistemas Sustentáveis de Energia e Transportes) 2010. Com estes galardões a dupla obteve um financiamento de 150 mil euros para concretizar a ideia.

Reduzir custos e ajudar o ambiente

A preocupação ambiental foi um dos motores de arranque do projeto. “Nos dias de hoje é necessário mudar o paradigma da geração de energia, face ao grande aumento dos custos dos combustíveis fósseis e seus efeitos para o ambiente”, explica o site da Waydip.

O mercado de consumo do Waynergy vai ser constituído especialmente por companhias que consomem eletricidade e que têm um espaço com grande afluência de pessoas ou veículos e que pretendam adquirir soluções económicas para gerar eletricidade e reduzir os custos da sua aquisição.

Clique AQUI para aceder ao site oficial do projeto.

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório