Em Destaque Lifestyle

Intenções de consumo no Natal de 2017

Vestuário, perfumes e livros são os presentes mais desejados neste Natal
Versão para impressão
por redação

O vestuário continua a ser o presente mais desejado pelos portugueses para receber no Natal. A conclusão é do Observador Cetelem Natal 2017, estudo anual que procura aferir quais as intenções de compra dos portugueses nesta época de forte consumo. Este ano, os produtos culturais – como livros, bilhetes ou CD – sobem ao top 3 na lista de presentes mais desejados pelos portugueses, ultrapassando smartphones e viagens.

34% dos portugueses inquiridos afirmam querer receber vestuário neste Natal, o que confirma, assim, a tendência verificada em anos anteriores. Em 2017 esta categoria regista, no entanto, um crescimento de 9 pontos percentuais face ao ano passado, o que significa que haverão mais peças de vestuário no sapatinho dos portugueses.

De acordo com o estudo Observador Cetelem Natal 2017, o segundo lugar é ocupado por perfumes e relógios, com 15% das respostas, menos 8 pontos percentuais face ao ano transato. No terceiro lugar da lista dos presentes mais desejados encontram-se os produtos culturais, como livros, referidos por 12% dos portugueses, o que representa um acréscimo de 1% face a 2016.

Já os telemóveis e smartphones são mencionados por 11% dos inquiridos do Observador Cetelem Natal 2017, uma quebra de 4 pontos percentuais em relação ao ano passado, passando para o quinto lugar das preferências nacionais. Quanto às viagens e lazer, produto que os consumidores têm demonstrado grande motivação para adquirir, assiste-se a uma quebra de 13 pontos percentuais de 2016 (19%) para 2017 (6%).

“O Natal é um período de grande consumo, centrado na compra de presentes, em especial para os mais pequenos. No entanto, é interessante verificar que mesmo os mais velhos gostam de receber presentes dos que lhes são mais próximos, embora prefiram aqueles que são mais práticos, como o vestuário, amplamente sugerido pelos inquiridos no estudo do Observador Cetelem. É ainda interessante verificar que, além dos perfumes e relógios, os produtos culturais mantêm o seu espaço. Por fim, as viagens e lazer sofrem uma forte quebra de 2016 para 2017. Parece verificar-se que neste período do ano a motivação dos portugueses está substancialmente diferente, mais focada na família e nas reuniões caseiras”, considera Pedro Camarinha, Diretor Distribuição do Cetelem.

Numa comparação entre as duas grandes cidades portuguesas, o vestuário é mais desejado no Porto, com 31% de respostas, mais 3 pontos percentuais que o registado em Lisboa. Refira-se que na capital do país há um maior equilíbrio nos desejos natalícios, pois 22% dos inquiridos lisboetas referem os perfumes ou relógios, 16% produtos culturais e 13% telemóveis ou smartphones. Já no Porto o desequilíbrio é maior, dado que, além do vestuário, apenas telemóveis esmartphones (13%) e viagens e lazer (13%) ultrapassam a barreira dos 10% de respostas. A nível nacional, percentualmente, o vestuário é mais desejado no Centro do país, com 42%. Quanto a perfumes e relógios, regista-se um maior equilíbrio, com 15 pontos percentuais no Norte e Sul, mais 1% que no Centro.

O Observador Cetelem Natal 2017 tem por base uma amostra representativa de 600 indivíduos residentes em Portugal Continental, de ambos os géneros e com idades compreendidas entre os 18 e os 65 anos. Estes foram entrevistados telefonicamente, com informação recolhida por intermédio de um questionário estruturado de perguntas fechadas. O trabalho de campo foi realizado pela empresa de estudos de mercado Nielsen, entre os dias 23 setembro a 6 de outubro, e um erro máximo de +4,0 para um intervalo de confiança de 95%.

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório