Saúde

Cancro da mama: aumenta adesão aos rastreios

O número de mulheres que aderiu ao rastreio do cancro da mama aumentou. A conclusão é do relatório da segunda fase do programa de rastreios que foi apresentado no Hospital de Faro esta quarta-feira que revela um aumento naquela região de 45% na
Versão para impressão
O número de mulheres que aderiu ao rastreio do cancro da mama aumentou. A conclusão é do relatório da segunda fase do programa de rastreios que foi apresentado no Hospital de Faro esta quarta-feira que revela um aumento naquela região de 45% na primeira fase (entre 2005 a 2007) para 58% no período entre 2008 e 2010.

Filomena Horta Correia, coordenadora do Núcleo de Rastreios da Administração Regional de Saúde (ARS) do Algarve, salienta, citada pelo Correio da Manhã, a positividade destes dados já que “a mamografia de rastreio tem influência na diminuição da mortalidade por cancro da mama”.

O balanço revelou ainda que houve um aumento no número de mamografias positivas como no número de cancros detetados. Aumento que é explicado pela própria ARS precisamente pela maior adesão. Duas em cada 1000 mulheres analisadas tinham cancros malignos.

No programa, cuja terceira fase se inicia agora, as mulheres entre os 50 e os 69 anos são contatadas pela ARS no sentido de efectuarem mamografias grátis na unidade móvel colocada junto ao centro de saúde local.

O cancro da mama é o mais frequente nas mulheres. Em Portugal, cerca de 4400 casos são anualmente detetados.

[Notícia sugerida pela utilizadora Joana Marques]

Comentários

comentários

Etiquetas

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório