Sociedade

Bolsa do voluntariado já conta com 16500 membros

Desenvolvido pela associação ENTRAJUDA, o site Bolsa do Voluntariado conta já com mais de 16 mil membros, dispostos a ajudar quem mais precisa sem receber por isso qualquer remuneração. Só no mês de dezembro, mil e quinhentos novos voluntários juntar
Versão para impressão
Desenvolvido pela associação ENTRAJUDA, o site Bolsa do Voluntariado conta já com mais de 16 mil membros, dispostos a ajudar quem mais precisa sem receber por isso qualquer remuneração. Só no mês de dezembro, mil e quinhentos novos voluntários juntaram-se à causa.

A função da Bolsa passa por articular a necessidade de trabalho voluntário por área com a disponibilidade para o prestar por parte de pessoas e entidades, potenciando, assim, um “mercado” virtual de voluntariado, lê-se na página web do projeto.

Esta plataforma solidária funciona de forma simples: após a inscrição, os voluntários podem escolher onde pretendem realizar a sua atividade, conforme as suas aptidões, disponibilidade, áreas de interesse e localização. Caso tenham alguma área de especialidade, podem também indicá-lo, o que favorece possibilita uma melhor distribuição da mão-de-obra disponível.

Por outro lado, as instituições que necessitem de voluntários, produtos não alimentares ou serviços podem listar as suas necessidades e procurar voluntários com o perfil mais adequado à sua atividade, ao selecionar determinados critérios preferenciais.

Pedro Ferraz, responsável pela plataforma apoiada pela Caixa Geral de Depósitos e pela Portugal Telecom, explica ao jornal i que o número crescente de voluntários deve-se, em grande parte, ao facto de recém-licenciados, desempregados e reformados quererem manter-se ativos.

“Quando confrontadas com o desemprego ou com a reforma, muitas pessoas vêem no voluntariado uma boa solução para continuarem ocupadas”, diz. Além disso, a inexistência de remuneração não impede que haja outras compensações: “É uma forma de contribuírem para a sociedade”.

E se 2011 promete ser um ano de grandes dificuldades económicas, será também o Ano Europeu do Voluntariado, tal como foi decretado pela União Europeia, para promover uma cidadania mais ativa.

Para a plataforma portuguesa das Organizações Não-Governamentais para o Desenvolvimento (ONGD), o voluntariado tem um papel fundamental no desenvolvimento social da Europa. Há, por isso, a necessidade de mais voluntários (embora, na Europa, estes correspondam já a 100 milhões de pessoas) para alcançar os objetivos de desenvolvimento do milénio (ODM).

Aceda à Bolsa do Voluntariado em www.bolsadovoluntariado.pt.

[Notícia sugerida pelo utilizador Vítor Fernandes]

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub