Mundo

Twitter: Dalai Lama conversa com a China

Durante hora e meia, o Dalai Lama, líder espiritual tibetano, conversou pela primeira vez com pessoas a viver na China através do site de micro mensagens, Twitter. O Dalai Lama respondeu, este sábado, a cerca de 300 pergun
Versão para impressão
[Foto: AFP]

Durante hora e meia, o Dalai Lama, líder espiritual tibetano, conversou pela primeira vez com pessoas a viver na China através do site de micro mensagens, Twitter. O Dalai Lama respondeu, este sábado, a cerca de 300 perguntas que depois foram encaminhadas para outros sites, noticia a agência AFP.

A sessão do Dalai Lama no Twitter durou 90 minutos e ocorreu num hotel de Nova York, durante uma visita do líder espiritual tibetano aos Estados Unidos. Com a ajuda de um intérprete chinês, o Dalai Lama respondeu a cerca de 300 perguntas feitas por mais de 12.500 pessoas diferentes.

O Dalai Lama fugiu para a Índia quando tropas chinesas reprimiram uma tentativa de rebelião no Tibete, há mais de 50 anos. No Twitter, o líder espiritual dos budistas tibetanos no exílio enviou mensagens de crítica a respeito das políticas do governo chinês no Tibete.

“Em certas zonas do Tibete, a cultura e a língua tibetanas estão em crise por causa do aumento do número de Hans [etnia maioritária da China]”, destacou o Dalai Lama.
As questões foram selecionadas através de uma votação feita no Google Moderator, um aplicativo do Google que permite esse tipo de operações.

O Twitter é bloqueado na China, mas mesmo sem poder utilizar um proxy (programa que máscara o IP de internet) para contornar a censura e se conectar, os internautas chineses puderam acessar ao “chat” com o líder religioso. O Twitter possuiu outros aplicativos e servers alternativos que permitem aos usuários usarem o serviço.

Segundo Xiao Qiang, diretor do China Digital Times, localizado nos Estados Unidos. essa “grande muralha na internet” [censura] estimulou o crescimento do Twitter na China: “essa comunidade tem uma ligação política forte contra a censura.

As inúmeras discussões da comunidade chinesa no Twitter falam sobre “a liberdade na Internet e sobre maneiras de contornar os firewalls”, programas de bloqueio, completou. Cerca de 100 mil chineses, que moram na China, estão no Twitter, estima.

Comentários

comentários

Etiquetas

Pub

Aid Global

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub