Sociedade

Rafael e Tanya pedalaram dois anos até Macau

Depois de quase dois anos a pedalar até Macau, Rafael e Tanya Ruivo estão de regresso a casa. Terminam um percurso de 17. 519 quilómetros, que começou em Ovar e atravessou 23 países.
Versão para impressão
Depois de quase dois anos a pedalar até Macau, Rafael e Tanya Ruivo estão de regresso a casa. Terminam um percurso de 17. 519 quilómetros, que começou em Ovar e atravessou 23 países. Para concretizar esta aventura tiveram que abandonar uma vida “normal” com trabalhos estáveis, mas não estão arrependidos.

Basta olhar para o mapa para ver como Macau fica longe. Mas chegar lá de bicicleta? Isso parece tornar as distâncias ainda mais impossíveis. No entanto, Rafael Polónia e Tanya Ruivo queriam viajar “lentamente” e era a bicicleta que lhes oferecia “a velocidade certa”, dizem ao Boas Notícias. Porque “o mundo é grande de mais”, começaram cedo a poupar para poderem concretizar um sonho.

Em meados de 2010, os dois jovens saíram de Ovar. Quase dois anos depois, a 2 de Maio, chegaram a Macau. Este domingo regressaram a casa, desta vez de avião, onde foram recebidos por amigos e familiares.

A sensação de regressar foi de “alívio, de missão cumprida mas, acima de tudo, de muita felicidade”, sublinham. “Aquilo que nos parecia do outro lado do mundo, afinal, está ao acesso de todos”, garantem.

Irão foi o país que mais marcou pela positiva

Dos países que mais os marcaram, destacam o Irão pela positiva, sobretudo “pelas pessoas”, mas também “pelas paisagens, monumentos, história”. Mas também ficaram impressionados com a “quantidade de pessoas, poluição e barulho” da Índia e com as elevadas temperaturas e a “falta de tudo” no Turquemenistão.

Mas para o diretor de cena, de 35 anos, e a atriz, de 30, o maior desafio foi antes da partida. “Deixar um trabalho seguro, casa, amigos, família e cães”, esse sim terá sido o momento mais difícil, dizem, adiantando que “depois tudo o resto é mais ou menos simples, adaptável”.

De regresso a Portugal há apenas um dia, confessam que têm saudades “de ter uma rotina, de voltar a ser 'normais', de ter prateleiras, sítios para guardar coisas, roupa variada, um frigorífico…”. Aquilo que classificam como “luxos, portanto”.

Sabem que a crise mudou “a face das pessoas”, mas estão contentes por voltar a “ver caras conhecidas, as mesmas todos os dias” e por encontrarem, ao fim de tanto tempo, as famílias dos amigos aumentadas.

“Uma coisa que mudou foi a quantidade de bebés de amigos que nasceram durante o tempo que durou a viagem, e isto são notícias espetaculares!”, concluem.

Sem adiantarem projetos em concreto, o casal tem a certeza de uma coisa: esperam continuar a ser “positivos” e “felizes” e concretizar mais sonhos.

Saiba mais sobre a viagem de Rafael e Tanya no website 2numundo, AQUI.

[Artigo sugerido por Sofia Baptista e Diana Rodrigues]

Comentários

comentários

Pub

Aid Global

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub