Cultura

Portugueses participam em Prémio de Arte ibérico

NULL
Versão para impressão
Este ano, o II Prémio de Arte Grünenthal foi dedicado à fotografia e subordinado ao tema “Que a Dor não seja mais do que uma recordação”. Foram 147 candidaturas, das quais 33 de artistas portugueses e as restantes de artistas espanhóis.

“Esta grande adesão é a prova do reconhecimento deste jovem prémio temático de arte. Além disso, as obras apresentadas pelos candidatos portugueses possuem um forte caráter internacional” refere Norberto Villarasa, diretor-geral da Grünenthal Portugal, em comunicado.

Entre os autores das 20 melhores fotografias a concurso estavam os artistas portugueses: José Mendes de Almeida, Ana Rito, Pedro Castro e José Ferreira.

Miguel Ángel Tornero foi o vencedor do II Prémio de Arte Grünenthal, com a obra “Pain Killers”, e arrecadou o prémio no valor de 10 mil euros.A fotografia vencedora representa uma alegoria sobre a universalidade da dor e as suas diferentes formas de abordagem.

A Grünenthal é uma empresa farmacêutica líder mundial no tratamento da dor, dedicada à investigação, desenvolvimento e comercialização de soluções inovadoras para a dor.

A empresa tem também uma preocupação cultural com a temática da dor, sendo que promove, de dois em dois anos, um prémio de arte dedicado a uma disciplina artística diferente.

O júri do concurso foi composto pelo presidente da Associação Portuguesa para o Estudo da Dor, o médico Duarte Correia, pelo presidente da Sociedade Espanhola da Dor, o médico Manuel Alberto Camba, pelo Conservador-chefe do Museu Thyssen-Bornemisza, Guillermo Solana, entre outros.

Clique AQUI para aceder ao site e consultar as obras selecionadas.

Comentários

comentários

Pub

Aid Global

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub