Desporto

Português sagra-se vice-campeão europeu de karaté

O português Henrique Ramos sagrou-se, este domingo, vice-campeão europeu de Karaté. A participação da seleção nacional de Karaté no Europeu da modalidade saldou-se na conquista de um total de duas medalhas, uma de prata e uma de bronze.
Versão para impressão
O português Henrique Ramos sagrou-se, este domingo, vice-campeão europeu de Karaté. A participação da seleção nacional de Karaté no Europeu da modalidade, que decorreu em Lisboa e terminou este domingo, saldou-se na conquista de um total de duas medalhas, uma de prata e uma de bronze, três quintos lugares e mais de 10 lugares de honra.
 
Em comunicado enviado ao Boas Notícias, a Federação Nacional de Karaté (FNK) avança que a participação portuguesa na competição terminou com a “histórica obtenção de uma medalha de prata” por Henrique Ramos na categoria de junior +78kg, a segunda medalha do atleta a nível europeu depois de ter já conquistado o bronze no Azerbeijão em 2012. 
 
De acordo com a FNK, o português cedeu apenas na final frente ao macedónio Jakupi Berat, campeão da Europa pela quarta vez consecutiva e bronze no mundial de Guadalajara em 2013.
 
No derradeiro embate, a experiência do atleta da Macedónia acabou por ser determinante – este foi o primeiro ano de sub21 de Henrique Ramos – mas “o combate foi renhido” e, segundo a FNK, “ficou demonstrado” que o vice-campeão europeu “poderá ainda dar muitas alegrias futuras ao karaté nacional”. 
 
Recorde-se que, no sábado, o segundo dia da competição, o também português Rodrigo Pina tinha já conquistado a medalha de bronze neste Europeu com um terceiro lugar na prova de kunite junior -68kg, um momento emotivo que o atleta descreveu como “arrepiante”. 
 
Às duas medalhas somaram-se três quintos lugares (de Luís Silva e Rita Morgado em kata junior e de Inês Tunes em kumite junior -48kg) e mais de dez lugares de honra, resultados “históricos” que para a FNK “representam uma das melhores prestações de sempre em termos coletivos, tendo Portugal estado na disputa direta da maioria das medalhas em jogo”.
 
“A prestação foi fantástica”, considerou Joaquim Gonçalves, selecionador nacional, no rescaldo da competição, destacando que “a equipa” esteve “à altura do grande evento” que se realizou na capital portuguesa. 
 
“O nível competitivo foi elevado e muitos países apresentaram-se com uma estrutura desportiva altamente profissionalizada, que tentámos combater com a nossa garra, determinação, entusiasmo e atitude vencedora”, concluiu o técnico, que salientou ainda  “a força do público presente” como uma motivação adicional.  

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub