Ambiente

Parque da Serra da Lousã salva três lamas

Após a participação num projeto de investigação científica em Portugal, três lamas poderiam ser abatidos pelos elevados custos que o seu regresso aos Andes implicaria. Porém, o Parque Biológico da Serra da Lousã evitou a situação ao decidir acolher o
Versão para impressão
Após a participação num projeto de investigação científica em Portugal, três lamas poderiam ser abatidos pelos elevados custos que o seu regresso aos Andes implicaria. Porém, o Parque Biológico da Serra da Lousã evitou a situação ao decidir acolher os animais.

O Parque é gerido pela Fundação ADFP (Assistência para o Desenvolvimento e Formação Profissional) e situa-se em Miranda do Corvo (Coimbra). O médico e presidente da Fundação, Jaime Ramos, garantiu à Lusa que o Parque “vai manter os animais enquanto forem vivos”.

Os lamas, outrora uma espécie selvagem, foram domesticados há quatro mil anos na região da América do Sul. O Parque Biológico da Serra da Lousã, reconhecido por abrigar espécies animais apenas de origem portuguesa, abre assim uma exceção ao adoptar os três lamas machos.

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub