Ambiente

Palmela produz biocombustível a partir de resíduos

As empresas Armasul e Secil começaram na quinta-feira passada a produzir e fornecer combustível produzido a partir de resíduos. O acordo entre as duas empresas prevê a produção e distribuição de cerca de 50 mil toneladas de combustível por ano.
Versão para impressão
As empresas Armasul e Secil começaram na quinta-feira passada a produzir e fornecer combustível produzido a partir de resíduos. O processo resulta de um acordo entre as duas empresas, que prevê a produção e distribuição de cerca de 50 mil toneladas de combustível por ano.
 
O biocombustível vai ser produzido numa unidade localizada no Ecoparque de Palmela e vai ser sintetizado a partir do aproveitamento de resíduos sólidos urbanos.
 
Em comunicado, a Armasul refere que o projeto “permitirá, só por si, aproveitar mais 12,5 por cento do total de resíduos sólidos urbanos rececionados nas infraestruturas da Amarsul que por outra via teriam como destino final a sua deposição em aterro sanitário sem qualquer aproveitamento”.
 
Além de contribuir para o cumprimento dos compromissos de valorização de resíduos urbanos, a Unidade de Combustíveis Derivados de Resíduos permite substituir os combustíveis convencionais e reduzir quer as emissões de gases de efeito de estufa, quer a dependência energética, explicou a empresa.
 
“O co-processamento de CDR como combustível alternativo na Fábrica de Cimento Secil/Outão representa valor acrescentado para a economia e para o ambiente”, realça, ainda, a Armasul.
 
A Armasul é a empresa que faz o tratamento e valorização dos resíduos sólidos urbanos produzidos da Margem Sul do Tejo. Já a Secil é uma das principais empresas produtoras de cimento em Portugal, assegurando mais de 35% das necessidades do país.
 
Pode aceder à página oficial da Armasul AQUI, e à da Secil AQUI.

Comentários

comentários

Pub

Aid Global

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub