Saúde

Óleos de peixe protegem cérebro contra o Alzheimer

A ingestão de suplementos de óleos de peixe ricos em ácidos gordos ómega 3 é capaz de prevenir a redução do tamanho do cérebro associada ao envelhecimento e, em última instância, ao desenvolvimento de doenças como o Alzheimer.
Versão para impressão
A ingestão de suplementos de óleos de peixe ricos em ácidos gordos ómega 3 é capaz de prevenir a redução do tamanho do cérebro associada ao envelhecimento e, em última instância, ao desenvolvimento de doenças como o Alzheimer, preservando por mais tempo a saúde cerebral. 
 
A conclusão é de um estudo norte-americano, realizado pela Universidade de South Dakota, nos EUA, e publicado a semana passada na prestigiada revista científica Neurology, que envolveu 1,111 mulheres que participaram numa investigação paralela sobre a memória. 
 
De acordo com os investigadores, é natural que o cérebro “encolha” com a idade, mas esta diminuição das suas dimensões é também, muitas vezes, sinal de demência, sendo, em particular, vista como um indicador importante para o diagnóstico da doença de Alzheimer. 
 
A equipa da Universidade de South Dakota, coordenada por James V. Pottala, principal autor do estudo, começou por medir os níveis de ácidos gordos ómega 3 EPA e DHA nos glóbulos vermelhos das voluntárias.
 
Oito anos depois, quando estas alcançaram, em média, os 78 anos de idade, os cientistas submeteram-nas à realização de ressonâncias magnéticas para apurar o volume dos seus cérebros, concluindo que as mulheres que tinham apresentado maiores níveis de ómega 3 no organismo mantiveram um maior volume cerebral.
 
Segundo um comunicado da universidade, as mulheres com mais elevados níveis de ácidos gordos ómega 3 no sangue garantiram também a manutenção de um volume 2,7% superior no hipocampo, área do cérebro que desempenha um papel fundamental na memória e que é uma das primeiras afetadas pelo Alzheimer. 
 
“Níveis mais altos de ácidos gordos podem ser obtidos por meio da dieta e da ingestão de suplementos e os nossos resultados sugerem que o efeito dos mesmos no volume do cérebro equivale a atrasar em um a dois anos a perda normal de células cerebrais que acontece com a idade”, explica Pottala. 
 
Visto que o corpo humano é incapaz de produzir ómega 3, os especialistas recomendam os suplementos de óleos de peixe como a melhor forma de obter as quantidades necessárias destes ácidos gordos. 
 
“[O nosso estudo] vem juntar-se a investigações anteriores que tinham já sugerido que a maior presença de ómega 3 no organismo pode ser promissora no que toca a atrasar o declínio cognitivo relacionado com quer com a idade, quer com a demência”, conclui o investigador. 

Clique AQUI para aceder ao resumo do estudo (em inglês). 

Comentários

comentários

Pub

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub