Ciência

Nanomaterial produz energia, hidrogénio e água limpa

Um nanomaterial que consegue produzir hidrogénio e água potável e ainda gerar eletricidade pode parecer um ficção científica, mas já é realidade: um grupo de investigadores de Singapura acaba de anunciar a criação de uma tecnologia revolucionária.
Versão para impressão
Um nanomaterial que consegue produzir hidrogénio e água potável e ainda gerar eletricidade pode parecer um ficção científica, mas já é realidade: um grupo de investigadores da Nanyang Technological University (NTU) de Singapura acaba de anunciar o desenvolvimento de uma tecnologia revolucionária que poderá ajudar a atacar os graves problemas energéticos e ambientais da atualidade a baixo custo.
 
Este novo nanomaterial, criado por uma equipa coordenada por Darren Sun, professor na Faculdade de Engenharia Ambiental e Civil da NTU, é capaz de dessalinizar a água (ou funcionar como membrana para a filtrar) e aproveitar a energia gasta durante esse processo.
 
Além disso, consegue produzir hidrogénio e água potável quando exposto a luz solar, matar bactérias ou transformar-se numa célula fotovoltaica flexível e “low-cost” para gerar eletricidade, entre outras potencialidades. 
 
De acordo com um comunicado divulgado pela universidade, a tecnologia revolucionária permite alcançar resultados iguais ou melhores que os atuais a um preço menor, sendo formada, na sua maioria, pela transformação de cristais de dióxido de titânico em nanofibras.
 
Estas nanofibras podem, facilmente, ser, elas próprias, convertidas em “membranas flexíveis patenteadas” com recurso à combinação com carbono, cobre, zinco ou estranho “consoante o fim e o produto desejado”, explicam os investigadores. 

“Converter o desperdício de hoje nos recursos de amanhã”
 

O facto de o dióxido de titânio ser um material barato e abundante, que, sabem os cientistas, tem capacidade de acelerar reações químicas e de se ligar com a água de forma fácil, é a sua principal vantagem, que dá a Sun e aos colegas a esperança de “ajudar a converter o desperdício de hoje nos recursos de amanhã, como água e energia”. 
 
“Não há uma solução única e simples para resolver dois dos principais desafios do mundo: a obtenção de energias renováveis baratas e de reservas abundantes de água potáveis. Porém, a nossa 'membrana multi-usos', com as suas nanopartículas de dióxido de titânio, está perto de o fazer e pode ser um catalisador chave na descoberta dessa solução”, garante o investigador.
 
“Atualmente, estamos a conseguir uma eficiência cerca de três vezes superior à atual na produção de hidrogénio [que pode ser usado como combustível limpo ou gerador de eletricidade] e a um preço muito mais baixo. Além disso, conseguimos produzir água potável com um custo energético quase nulo”, realça Darren Sun.
 
O próximo objetivo da equipa é continuar a apostar na melhoria deste manomaterial e, ao mesmo tempo, fundar uma empresa startup para comercializar o produto, bem como encontrar parceiros comerciais interessados em apoiar o projeto para acelerar a sua chegada ao mercado.

Notícia sugerida por Vítor Fernandes

Comentários

comentários

Pub

Aid Global

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub