Saúde

Mobilidade: ir a pé para a escola

Outubro foi o mês internacional de Ir a Pé para a Escola. A nível mundial, o movimento "iwalk" procura promover a caminhada como meio de transporte entre casa e escola. As vantagens para as crianças são inúmeras, entre o combate à obesidade
Versão para impressão
Outubro foi o mês internacional de Ir a Pé para a Escola. A nível mundial, o movimento “iwalk to school” procura promover a caminhada como meio de transporte entre casa e escola. As vantagens para as crianças são inúmeras, entre o combate à obesidade, promoção da atividade física e o desenvolvimento de capacidade cognitivas e sociais. Em Portugal, o projeto já está a ser aplicado em Loures e no Barreiro.

Outubro foi proposto pela Alliance for a Healthier Generation, uma instituição americana sem fins lucrativos, como o Mês Internacional de Ir a pé para a escola. O ano passado, o movimento juntou 40 países em iniciativas que sublinharam a importância de uma atitude tão simples como ir a pé para a escola.

Os objetivos gerais do projeto passam pelo combate à obesidade infantil e promover a atividade física mas também por aprender a viver a rua e o espaço urbano. As crianças que se deslocam constantemente de carro perdem uma oportunidade de praticar uma actividade física saudável e ficam privadas de importantes capacidades cognitivas e sociais, relacionadas com a percepção do espaço público e com a autonomia.

Segundo os especialistas, tornar as crianças independentes no espaço público e auto-suficientes em termos de mobilidade é determinante para a sua saúde psíquica e para o desenvolvimento psico-social.

Para garantir que o percurso a pé para a escola é seguro, adequado a peões e com passadeiras bem assinaladas, estes projetos organizam grupos entre a vizinhança e estações de “pedibus”, como as que já existem em Loures e no Barreiro. Os pais também podem acompanhar os filhos e aproveitar para conversar e ensinar regras de civismo e segurança.

Caminhar em vez de usar o carro contribui ainda para um melhor ambiente no bairro, menos congestionamento à porta das escola, menos carros mal estacionados. Ir de bicicleta é outra alternativa possível em alguns bairros.

A Pé para a Escola, em Loures e no Barreiro

Em Portugal, o projeto de mobilidade sustentável “A Pé para a Escola” tem os mesmos objetivos do “iwalk”. Coordenado pelo Centro de Estudos de Sociologia da Universidade Nova de Lisboa (CESNOVA) e financiado pelo Programa Gulbenkian Ambiente, está a ser posto em prática em seis escolas do primeiro ciclo dos concelhos de Loures e do Barreiro.

Segundo dados do CESNOVA, apresentados em Setembro, depois de um inquérito realizado junto de pais e alunos das três escolas do concelho de Loures envolvidas, 56,4 por cento de encarregados de educação utilizam o automóvel para levar as crianças de casa para a escola. Isto apesar de grande parte deles morar a menos de 1000 metros da escola.

De referir ainda que 25 por cento dos que usam o carro moram entre 500 a 1000 metros, e 17,9 por cento a menos de 500 metros. 74,4 por cento das crianças dizem preferir deslocar-se a pé. Para 53,7 por cento são necessários apenas 10 minutos para chegar à escola.

Desencorajar o uso de carro, com todos os problemas associados, e replicar depois as estratégias adoptadas para outras comunidades é o que se pretende. O projecto destina-se a crianças do 1º ciclo do ensino básico que, participando nele, ganharão:

.Maior autonomia

.Capacidade de orientação no espaço público

.Noções importantes de segurança rodoviária e cidadania

.Respeito pelo espaço público

.Noções importantes de sustentabilidade e saúde

[Notícia sugerida pela utilizadora Elsa Sal]

Comentários

comentários

Etiquetas

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório