Cultura

Joana Vasconcelos leva galo gigante para o Brasil

A artista plástica recriou um Galo de Barcelos, com cerca de sete metros de altura, a propósito das comemorações dos 450 anos do Rio de Janeiro. Azulejo e luzes LED são os componentes desta obra, que vai simbolizar a ligação entre Portugal e o Brasil
Versão para impressão
A artista plástica recriou um Galo de Barcelos, de sete metros de altura, a para assinalar as comemorações dos 450 anos de existência do Rio de Janeiro. Azulejos e luzes LED são os componentes desta obra que simboliza, também, a ligação entre Portugal e o Brasil.

A artista plástica Joana Vasconcelos apresentou, esta terça-feira, uma obra inédita a propósito das comemorações dos 450 anos do Rio de Janeiro, que se celebram no próximo ano.

Na apresentação do projeto, no Salão Nobre da Câmara de Lisboa, Joana Vasconcelos explicou que vai criar “um galo de Barcelos de sete metros de altura, revestido a azulejos e milhares de leds coloridos”. “Um galo que, durante o dia, será mais português, e vai sambar à noite, mais ao estilo brasileiro”.

“Julgo que esta peça consegue fazer a ponte entre a tradição e o futuro, entre os portugueses e os brasileiros e fala de alguma maneira da nossa história e da nossa cultura”, resumiu a artista.

O 'Pop Galo', como se chama a obra, será inaugurado no dia 10 de Junho de 2015, dia de Portugal, de Camões e das Comunidades, na Praia do Leme, em Copacabana.

Está previsto que o projeto fique no Rio de Janeiro pelo menos até ao final do ano, quando acabarem as comemorações, mas o objetivo é que este galo gigante permaneça no Brasil. “Esperemos que fique, a ideia é que fique no Rio de Janeiro, talvez não naquele local mas isso agora é aquilo que se vai decidir entre os prefeitos”, explicou a artista.

“No meu trabalho de pesquisa, percebi que o Galo tinha na sua cor e no seu desenho uma expressão pop que vem atravessando várias gerações e vários séculos”, acrescentou Joana Vasconcelos, durante a explicação da criação do projeto que conta com o apoio do Azeite Gallo.  

“Fim de um ciclo colonial e imperial”

A artista contou também que foi convidada pelo Comité Rio450 para “levar algo até ao Rio de Janeiro que retratasse a ligação entre Portugal e o Brasil”.

Este comité é liderado por Marcelo Calero que olha para Joana como o “reflexo da relevância e da força artística contemporânea de Portugal”, e acrescentou também, durante a apresentação do projeto, que “estamos muito satisfeitos por este presente tão simbólico e tão cheio de significado”, disse o responsável brasileiro na apresentação.

Para o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, parceira na iniciativa, é motivo de “orgulho” esta associação à celebração dos 450 anos da cidade brasileira. “É o início e o fim de todo o ciclo colonial e imperial de Portugal”, rematou António Costa.

A obra da artista plástica, de 42 anos, é apenas uma das atrações das cerimónias de celebração dos 450 anos da cidade brasileira, cujo programa ainda não é conhecido em detalhe.

Joana Vasconcelos é uma das artistas plásticas portuguesas de maior sucesso internacional. Tornou-se conhecida em Portugal através da exposição que levou, no ano passado, ao Palácio Nacional da Ajuda, que recebeu a visita de quase 200 mil espetadores, tornando-se rapidamente na exposição temporária mais vista de sempre no país.

Para além do presidente da Câmara Municipal de Lisboa, António Costa, estiveram também presentes na cerimónia, que decorreu no Salão Nobre dos Paços do Concelho, o presidente do Comité Rio 450, Marcelo Calero, o embaixador do Brasil, Mário Vilalva, a vereadora da Cultura, Catarina Vaz Pinto, entre outros, de acordo com um comunicado da Câmara Municipal de Lisboa.

Clique AQUI para visitar o site oficial do Rio 450.

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório