Inovação e Tecnologia

Japão: Óculos “enganadores” ajudam a fazer dieta

Um equipamento criado pela Universidade de Tóquio induz o utilizador a acreditar que uma bolacha de água e sal é, na verdade, um bolo de chocolate, e é capaz de fazer os alimentos parecerem maiores do que são.
Versão para impressão
Fazer dieta poderá tornar-se mais fácil graças aos novos “óculos enganadores” criados pela Universidade de Tóquio, no Japão. O equipamento induz o utilizador a acreditar que uma bolacha de água e sal é, na verdade, um bolo de chocolate, e é capaz de fazer os alimentos parecerem maiores do que são realmente.
 
Um grupo de investigadores japoneses desenvolveu o dispositivo com recurso a tecnologia computacional e à realidade aumentada com o objetivo de “enganar” os sentidos e fazer com que quem os usa se sinta mais satisfeito com petiscos menores ou com um aspeto menos apelativo. 
 
Os óculos estão munidos de câmaras que enviam imagens para um computador incorporado que amplifica o tamanho aparente do alimento visto pelo utilizador, mantendo a sua mão com o tamanho normal. Assim, um biscoito, por exemplo, parece adquirir uma dimensão superior à real.
 
A equipa japonesa realizou testes com diversos voluntários e constatou que os participantes comeram cerca de 10% menos quando os biscoitos que estavam a ingerir pareciam ter o dobro do tamanho. Por outro lado, comeram 10% mais quando estes aparentavam ter um tamanho três vezes inferior ao verdadeiro.
 
Michitaka Hirose, professor do departamento de Ciências da Informação e Tecnologia da universidade, afirmou que o projeto surgiu do seu interesse em compreender como os computadores podem ser usados para ludibriar a mente humana.
 
“Entender como 'enganar' vários sentidos utilizando computadores é muito importante no estudo da realidade virtual”, explicou Hirose à AFP, acrescentando que “a realidade está na nossa mente”.
 
De salientar que, no âmbito de um outro trabalho, a equipa de Hirose criou também um dispositivo que recorre a garrafas perfumadas e ilusões de ótica para fazer o utilizador acreditar que o que está a comer não é, por exemplo, uma simples bolacha de água e sal.
 
O aparelho pode ser personalizado ao gosto do utilizador, que pode escolher o seu sabor favorito para acreditar que está a ingerir uma bolacha de chocolate ou de morango. Segundo Hirose, as experiências realizadas até ao momento mostram que 80% dos sujeitos submetidos a análise foram “enganados” com sucesso.
 
Para já, a equipa não pensa em comercializar nenhuma das invenções, mas Hirose admite que, futuramente, pretende investigar que utilidade prática teria o dispositivo para pessoas com vontade de perder peso.

[Notícia sugerida por Patrícia Guedes e Diana Rodrigues]

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório