iliving&trends

IGUAL HABITAT: Turismo 100% acessível

Em pleno Nordeste Transmontano, uma casa empedrada esconde a inovação que lhe está na alma: receber, com comodidade e requinte, quem muitas vezes é ignorado pelo turismo tradicional.
Versão para impressão
Neste projeto de turismo rural 100% acessível da Igual Habitat, pensado sobretudo para pessoas de mobilidade condicionada, todos pernoitam em pé de igualdade.

Espreitar o exterior da Igual Habitat, erguida na típica aldeia do Rabal (Bragança), não chega para imaginar as condições oferecidas por esta unidade turística. Por fora, a casa é semelhante a tantas outras da região, com as paredes de pedra acastanhada a serem entrecortadas pela madeira das portadas e janelas. Por dentro, a arquitetura moderna pauta-se pelo conforto e pela atenção ao detalhe. Tudo para que o espaço possa ser desfrutado por qualquer pessoa, em condições iguais, com ou sem restrições de mobilidade.

captura-de-ecra-2016-11-23-as-16-06-32Este é o “Reino Maravilhoso” de Ana Peixoto e Sérgio Marinho, os fundadores da Igual Habitat. A quatro mãos, os dois responsáveis compraram uma casa em ruínas e, a partir do traçado original, promoveram uma intervenção de reabilitação com vista à acessibilidade do espaço. Do sonho por “igualdade, equidade e justiça”, como conta Ana Peixoto, ergueu-se esta casa de turismo rural acessível, “a pensar nas pessoas com mobilidade condicionado, nos pais com crianças especiais, nas nossas grávidas, nos nossos avós, nos nossos amigos vítimas das vicissitudes da vida”. Das antigas ruínas do nº 51 da rua da Veiga nasceu esta unidade inovadora, com cinco quartos, uma ampla sala de estar e capacidade total para 13 hóspedes.

À data, a Igual Habitat é “a única casa de turismo rural 100% acessível em Portugal”, reforça a cofundadora, que é também enfermeira com formação especializada na área da Enfermagem de Reabilitação. Para apoiar a concretização da iniciativa, Ana e Sérgio receberam financiamento comunitário do PRODER – Programa de Desenvolvimento Rural. “A persistência, a vontade e a finalidade do projeto fizeram os quilómetros percorridos valer a pena”, adianta a responsável, frisando que o projeto representa “um esforço gigante” a nível físico, económico e familiar.captura-de-ecra-2016-11-23-as-16-06-39

Como resultado deste trabalho árduo dos dois promotores, a casa pode ser desfrutada, sem esforço, por quem a visita. Tal como explicam, “o principal aspeto inovador da Igual Habitat é que todos os espaços podem ser usados para turismo inclusivo e, em simultâneo, para pessoas sem condicionalismos de mobilidade”. A começar na garagem, com passagem direta ao rés-do-chão, todos os equipamentos e serviços se destacam pelo acesso fácil.

A imponente sala é um dos espaços marcantes desta casa de turismo rural. Numa opção alternada entre pedra e tinta branca, o espaço distingue-se pela sensação de conforto. A partir daqui, é possível chegar ao piso superior através da escadaria de madeira ou, em alternativa, do moderno elevador envidraçado. Todos os quartos possuem instalações sanitárias privativas, com equipamentos adequados a hóspedes de mobilidade reduzida. A acessibilidade não é, contudo, contrária à decoração e criatividade. Do azul ao rosa fúcsia, cada quarto tem um caracter colorido e contemporâneo. Os espaços complementam-se com uma sala de jantar/cozinha, uma adega e terraço.

captura-de-ecra-2016-11-23-as-16-06-53“Em resenha, este é um espaço rural com características inclusivas e acessíveis num duplo aspeto: na verdadeira essência da acessibilidade, mas também na qualidade/preço do serviço que oferecemos”, enfatiza Ana Peixoto. Além do quarto, com um custo de 60 euros/noite, a Igual Habitat oferece um serviço de pequeno-almoço opcional, por 7,5 euros por pessoa. É ainda possível alugar a casa na sua totalidade, por um valor de 240 euros/noite.

A proposta de turismo rural inteiramente acessível vem colmatar uma necessidade real de mercado. Segundo dados da Comissão Europeia, existem cerca de 138 milhões de pessoas com limitações de mobilidade na União Europeia. Para 2020, estima-se que o mercado potencial de turismo acessível represente 862 milhões de viagens anuais.

No caso específico da Igual Habitat, os promotores acreditam que esta é também uma resposta à “depressão económica e demográfica das zonas rurais”, através da criação de emprego, desenvolvimento do turismo e modernização de equipamentos. “[O investimento] acabará por contribuir de forma direta para uma maior intervenção de entidades públicas na criação de incentivos às práticas de turismo”, argumenta a cofundadora.captura-de-ecra-2016-11-23-as-16-07-05

Numa iniciativa pioneira – à espera que outras unidades de alojamento rural lhe sigam o exemplo – a Igual Habitat faz da acessibilidade o seu maior trunfo, por um “turismo sem barreiras e com qualidade”. A aposta no turismo acessível dá os seus frutos: além da vertente económica, este é um projeto de empreendedorismo com impacto positivo na inclusão social e no território. A beleza transmontana do Parque Natural do Montesinho, que rodeia a aldeia de Rabal, está hoje mais perto de todos, com ou sem necessidades especiais de mobilidade.

// www.igualhabitat.com

Comentários

comentários

Pub

Aid Global

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub