Sociedade

Governo garante 13º mês a funcionários públicos

A poucas semanas de entregar a proposta de Orçamento do Estado para o próximo ano, o governo desfaz as dúvidas e o gabinete do primeiro-ministro desmente, de acordo com a SIC Online, que, este ano, vá mexer no 13º mês dos funcionários públicos retend
Versão para impressão
A poucas semanas de entregar a proposta de Orçamento do Estado para o próximo ano, o governo desfaz as dúvidas e o gabinete do primeiro-ministro desmente, de acordo com a SIC Online, que, este ano, vá mexer no 13º mês dos funcionários públicos retendo-o, para fazer face ao desequilíbrio das contas públicas.    

O líder do PSD, com quem o Governo vai ter que negociar o orçamento, não pôs de parte a possibilidade de novas medidas excecionais para cortar na despesa ainda este ano. Passos Coelho disse que as hipóteses que surgem “no espaço público” como essa “só têm de ser consideradas se não houver cumprimento das medidas que foram acordadas”.

“Só é necessário, para este ano, acordar cortes novos de despesa que possam ter essa envergadura se alguma coisa não estiver a correr bem nas medidas que foram aprovadas e que não estejam a ser executadas”, explicou.

Mas há vários economistas que já não vêm outra alternativa senão o corte no subsídio de Natal.É o caso do bastonário da Ordem dos Economistas, Murteira Nabo que defende que a medida teria efeitos imediatos e eficazes. Representaria, para os cofres do Estado, uma poupança de 0,4% do PIB.

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório