Ciência

Fêmea clonada a partir de dois ratos machos

Uma equipa de investigadores norte-americanos usaram células estaminais para gerar um rato do sexo feminino a partir de dois machos. A descoberta poderá permitir ajudar a preservar espécies em perigo além de poder vir a ajudar, um dia, casais do mesm
Versão para impressão
Uma equipa de investigadores norte-americanos usaram células estaminais para gerar um rato do sexo feminino a partir de dois machos. A descoberta poderá permitir ajudar a preservar espécies em perigo além de poder vir a ajudar, um dia, casais do mesmo sexo a terem os seus próprios filhos.

Segundo o estudo publicado nesta quarta-feira, na revista Biology of Reproduction, cientistas do Texas especializados em reprodução manipularam as células estaminais provenientes de um feto macho (XY) de rato para produzir células estaminais pluripotentes induzidas (CPi).

De acordo com o Ciência Hoje, as células foram injetadas em embriões provenientes de ratos fêmeas e transplantadas para uma delas – a portadora que deu à luz dois ratinhos portadores do cromossoma X, proveniente originalmente do rato macho.

Os dois animais foram crescendo e mais tarde puderam acasalar com ratinhos machos, normalmente. Os investigadores explicam que, com uma pequena variação, é também possível gerar esperma a partir de um doador feminino e produzir machos viáveis, mesmo a partir de duas fêmeas.

Apesar do sucesso, os especialistas admitem ainda faltar um longo caminho para conseguirem aplicar a técnica em seres humanos.

Comentários

comentários

Etiquetas

Pub

Aid Global

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório

Pub