Ciência

ESA encontra água abundante em volta de uma estrela

NULL
Versão para impressão
O observatório espacial Herschel da Agência Espacial Europeia (ESA) detetou vapor de água gelado numa nuvem de pó que envolve uma estrela. O disco de pó encontra-se a 176 anos-luz da Terra e pode trazer informações preciosas sobre a própria formação de água no nosso planeta.

Esta foi a primeira vez que foi encontrado vapor de água gelado em volta de uma estrela, o que pode significar que, além da Terra, vários planetas se encontram cobertos por água.

O comunicado divulgado pela ESA indica que as reservas de água encontradas são equivalentes a milhares de oceanos, e acredita-se que foram criadas graças à radiação ultravioleta que emerge da estrela. Os grãos de pó que envolvem a superfície da estrela são atingidos pela luz e as moléculas de água libertam-se do gelo, criando o vapor de água detetado pelo Herschel, relata a NASA.

“Esta descoberta de água nas partículas do disco pode ser similar ao que aconteceu na evolução do nosso Sistema Solar, onde durante milhões de anos, grãos de pó semelhantes se uniram para formar cometas”, disse Michiel Hogerheijde da Leiden University na Holanda que liderou o estudo.
 
A estrela em questão é a TW Hydrae e situa-se na constelação de Hydra. Com mais de 10 milhões de anos, é rodeada por um disco de pó e gás que pode condensar-se e formar um conjunto de planetas, tal como no nosso Sistema Solar.

Disco de pó tem um tamanho de 200 vezes a distância da Terra ao Sol

Até agora, astrónomos acreditavam que grande parte da água que existe na Terra veio de cometas gelados que bombardearam o planeta durante a sua formação, mas eram ainda muito poucas as formações existentes sobre os reservatórios de água nos discos que rodeiam as estrelas e dão origem a novos planetas.

Com esta descoberta isso pode mudar, e os investigadores estão já a preparar-se para estudar formações semelhantes em outras três estrelas, informa a ESA. “Acreditamos que vamos encontrar resultados iguais, mas como as nossas próximas observações vão ser de objetos três vezes mais distantes, vamos precisar de muito mais horas de observação”, explicou Michiel Hogerheijde.

A descoberta providência informação importante sobre a forma como a água é formada nestes discos, assim como possibilita uma maior compreensão sobre como terá a água chegado ao nosso planeta. 

A TW Hydrae é uma estrela cor de laranja, mais pequena e fria que o nosso Sol. O disco gigante que a envolve tem um tamanho equivalente a 200 vezes a distância entre a Terra e o Sol.

Para ler o comunicado completo, clique aqui.

[Notícia sugerida por Elsa Martins, Patrícia Guedes e Raquel Baêta] 

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório