Em Destaque Inovação e Tecnologia

Ecografias à distância realizadas por robôs

Quatro instituições portuguesas juntaram-se em torno de um objetivo: realizar ecografias à distância por meio de sistemas robotizados
Versão para impressão
por redação

O projeto arrancou em janeiro e tem como principal objetivo desenvolver um sistema (denominado ROSE) para o mercado da telemedicina, com base em avanços recentes na tele-ecografia assistida por tecnologias robóticas.

Um novo paradigma de diagnóstico por tele-ecografia será estabelecido com o sistema ROSE, mediante o qual médicos e pacientes podem interagir sem necessidade de proximidade física. Cada sistema ROSE inclui duas estações ergonómicas robotizadas (uma do lado médico e outra do lado do paciente), um conjunto de sondas ecográficas dotadas das funcionalidades usuais, um sistema de base de dados de pacientes localizado em “cloud” e estruturas de comunicação seguras pela internet. Combinando estes elementos, o ROSE permitirá a interação entre múltiplos médicos e pacientes, mitigando inconvenientes de viagens quer do lado do paciente quer do lado médico, e criando novos serviços tais como a supervisão técnica à distância e colaboração internacional.

Do ponto de vista do procedimento imagiológico, as tecnologias robóticas permitem um controlo mais fino da posição/orientação da sonda, para além de melhorar o conforto de médicos e pacientes, alicerçado em designs ergonómicos e interações complacentes.

O consórcio que promove o projeto ROSE propõe uma solução disruptiva fortemente imersiva e intuitiva, baseada em avanços tecnológicos recentes, utilizando robôs ultraleves controlados em binário e arquiteturas de tele-controlo complacente com realimentação háptica.

Uma solução desta natureza permitirá realizar exames ecográficos à distância economizando deslocações de doentes não urgentes e permitirá acesso a este tipo de diagnóstico em zonas remotas onde não é possível ter um radiologista em permanência. Entre outros benefícios está o aumento da capacidade dos serviços, maior segurança de dados, menores custos de operação e maior rapidez do serviço.

O consórcio tem já em vista o ponto de aplicação do primeiro sistema ROSE, na Idealmed em Coimbra, durante o próximo ano e meio.

O consórcio é liderado pela empresa Sensing Future Technologies que se dedica ao desenvolvimento e implementação de dispositivos médicos para reabilitação física, telemedicina e robótica médica. Faz parte também a Imacentro – Clínica de Imagiológia Médica do Centro, uma unidade do grupo Idealmed.

Outro promotor do projeto é o Instituto de Sistemas e Robótica da Universidade de Coimbra que desenvolve uma investigação multidisciplinar em diversos sistemas robóticas. Por fim faz parte o Laboratório de Automática e Sistemas do Instituto Pedro Nunes uma unidade de transferência de tecnologia do meio universitário para o meio empresarial, no domínio da electrónica, automação, robótica e instrumentação.

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório