Saúde

Dieta rica em peixe e vegetais aumenta longevidade

Uma dieta rica em peixe e vegetais pode contribuir para uma vida mais longa. A conclusão é de um novo estudo sueco, que revela que aqueles que ingerem, regularmente, as chamadas "gorduras boas" podem viver, em média, mais 15 anos.
Versão para impressão
Uma dieta rica em peixe e vegetais pode contribuir para uma vida mais longa. A conclusão é de um novo estudo sueco, que revela que os homens e mulheres adultos que ingerem, regularmente, as chamadas “gorduras boas” podem viver, em média, mais 15 anos do que os restantes, evitando doenças cardíacas e outros problemas de saúde.
 
Os investigadores da Universidade de Uppsala, na Suécia, analisaram mais de 4.000 indivíduos do sexo masculino e feminino com idade igual ou superior a 60 anos, constatando que aqueles que apresentavam, no sangue, maiores níveis de gorduras poliinsaturadas (PUFAs), obtidas através do peixe e dos vegetais, tinham menor probabilidade de morrer precocemente.
 
A equipa, cujo estudo em Junho na revista científica Circulation, analisou os níveis de diferentes tipos de gorduras presentes no sangue de 2.193 mulheres e 2.039 homens suecos, acompanhando metade dos participantes por um período mínimo de 14,5 anos.

No final do estudo, 265 homens e 191 mulheres tinham morrido, ao passo que 294 homens e 190 mulheres sofreram eventos cardiovasculares (como ataques cardíacos).
 

Nos homens, observou-se uma redução de 27% na probabilidade de morte por quaisquer causas quando existia no sangue uma maior concentração das gorduras “boas” provenientes de óleos vegetais, algo que não se verificou nas mulheres, destacam os cientistas.
 
Por outro lado, dois dos ácidos gordos encontrados no peixe – o EPA e o DHA – apareceram associados, em ambos os sexos, a uma diminuição de 20% do risco de morte precoce por doença cardiovascular.
 
Citado pela Reuters, Ulf Riserus, principal autor do estudo e especialista em nutrição daquela universidade sueca, explica que o estudo prova que as dietas poliinsaturadas e monoinsaturadas são um “bom” tipo de gordura, que pode promover um colesterol saudável, em especial quando consumidas em substituição das gorduras saturadas ou “trans”.
 
De acordo com Riserus, estas “gorduras boas” estão presentes em peixes como o salmão, a truta ou o arenque, bem como nos acabates, nas azeitonas, nas nozes e em diversos óleos vegetais (como o azeite ou os óleos de canola, girassol ou soja).
 
Atualmente, os especialistas recomendam que os adultos obtenham a partir da gordura um máximo de 20% a 35% das calorias de que necessitam diariamente, sendo que a maior parte desta percentagem deve ser obtida a partir das “gorduras boas”, não devendo exceder-se 10% de gorduras saturadas por dia.

Clique AQUI para aceder ao resumo do estudo (em inglês).

Notícia sugerida por Patrícia Guedes

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório