Ambiente

Designer inglês cria objetos a partir de escamas

Um designer inglês está a substituir o plástico nas suas criações por escamas de peixe descartadas pela indústria pesqueira e já produziu múltiplos objetos.
Versão para impressão
Um designer inglês está a substituir o plástico nas suas criações por escamas de peixe descartadas pela indústria pesqueira e já produziu múltiplos objetos como óculos de natação, copos e mesas.
 
Erik de Laurens teve a ideia quando foi convidado a desenvolver alguns objetos para a cantina de uma escola primária na Cidade do Cabo, na África do Sul. 
 
“Quando era pequeno, o mar era uma grande fonte de alegria e inspiração para mim e, certamente, contribuiu para que enveredasse pelo ramo do design”, explica de Laurens no seu site oficial. 
 
Durante o período em que esteve na Cidade do Cabo, o artista decidiu levar, uma vez por mês, as crianças de cada turma a um dia de pesca numa praia próxima. Depois, o peixe que conseguissem apanhar era confecionado na escola e, com as escamas que sobravam, Erik de Laurens começou a dar largas à imaginação. 
 
Uma máquina de água feita com pele de peixe, copos produzidos a partir de escamas e até uma toalha de mesa com desenhos que ensinavam as crianças a construir o seu próprio barco foram as primeiras obras que desenvolveu.
 
“Continuando esta 'festa do peixe', consegui criar um material surpreendente composto totalmente de escamas”, conta Erik de Laurens. “A indústria pesqueira gera um enorme desperdício deste material e, usando-o como recurso para a produção de objetos novos, tentei realçar as potencialidades que podem advir desta falha industrial”, acrescenta o designer. 
 
Para testar a verdadeira utilidade do “plástico de peixe” que desenvolveu, Erik de Laurens criou três pares de óculos de proteção e uma mesa com uma camada de peixe. Além disso, aumentou a diversidade de cores dos objetos com recurso a corantes naturais. 

De acordo com o artista, o processo de elaboração deste material totalmente reciclável e biodegradável é simples: basta submeter as escamas a secagem, calor e pressão. Além disso, o material, semelhante ao plástico, pode ser reproduzido em qualquer lugar.

O objetivo do artista é, agora, conseguir amplificar o recurso a este material inovador e ecológico, difundindo-o o mais possível. “Atualmente estou à procura de financiamento para levar o desenvolvimento do 'plástico de peixe' mais além”, afirma. 


Clique AQUI para visitar o site de Erik de Laurens e saber mais sobre os seus trabalhos.
 
[Notícia sugerida por Vítor Fernandes]

Comentários

comentários

BN TV

O Boas Notícias está de volta!

Live Facebook

Correio do Leitor

Subscreva a nossa Newsletter!

Receba notícias atualizadas no seu email!
* obrigatório